ELEIÇÕES 2018 Segurança e empregos na pauta de Paulo Câmara Segundo Paulo Câmara, haverá redução dos números da violência em Pernambuco ainda em 2018 como 'nunca se viu' na história da segurança

Por: Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicado em: 12/09/2018 08:39 Atualizado em: 12/09/2018 22:26

Socialista foi sabatinado por lojistas recifenses. Foto: Helia Scheppa/Divulgação
Socialista foi sabatinado por lojistas recifenses. Foto: Helia Scheppa/Divulgação
Pedidos por mais segurança, redução de carga tributária e abertura de vagas de empregos estiveram na pauta de cobranças do Sindilojas, da Câmara dos Dirigentes Lojistas Recife e da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas, ontem, em sabatina com o governador Paulo Câmara (PSB). As demandas do setor (comércio e serviços representam cerca de 70% do PIB pernambucano) foram feitas por empresários após o governador tecer uma apresentação de quase uma hora sobre as ações do governo do estado nas respectivas áreas, como contratação de policiais, revisão de impostos e crescimento do PIB em 2,2% no primeiro trimestre de 2018, o dobro do registrado no Brasil, segundo dados divulgados pela Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas do estado. 

O governador encerrou o discurso com uma promessa para uma das áreas que mais aflige o comércio do Recife e os trabalhadores: a violência. Segundo o presidente do CDL, Cid Lobo Mendonça, a entidade possui três mil associados e se preocupa, especialmente, com a falta de segurança no Centro, que, além do comércio, tem igrejas históricas e representa a imagem da capital, com suas pontes, rios e casarios históricos. “A gente vai fechar 2018 com números da segurança que há muito tempo não se via em Pernambuco e muitas áreas vão ter números que nunca se viu na história da segurança pública de Pernambuco”, prometeu o governador, citando, detalhadamente, números de queda da violência na região central do Recife, como Conde da Boa Vista e Agamenon Magalhães. 

Paulo Câmara ficou mais de uma hora em pé no meio do auditório da CDL, ora falando do que havia feito no estado, ora respondendo a perguntas. As promessas do candidato foram registradas pelo secretário de Turismo, Márcio Stefanni, e pelo secretário de Segurança, Antônio de Pádua. Ambos acompanharam o governador e anotaram os questionamentos feitos pela plateia, bem como os compromissos assumidos pelo socialista, entre eles, a criação do que chamou de “Pacto pelo emprego”, esse último escrito em caixa alta no topo de uma folha de papel por Stefanni. 

“O emprego é a grande meta mobilizadora dos próximos quatro anos”, discursou o governador, lembrando que a manutenção do equilíbrio financeiro do estado, com o pagamento dos servidores em dia, evitou que a crise no comércio se ampliasse. “Vamos apresentar um grande pacto com a sociedade para a geração de empregos. Essa é a nossa obsessão agora”, acrescentou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.