Fala Dilma lamenta ataque: 'Quando se planta ódio você colhe tempestade' Ex-presidente afirmou que clima de ódio no país é preocupante e citou as eleições como momento para que o diálogo volte a prevalecer entre brasileiros

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 06/09/2018 23:28 Atualizado em:

"Lamento muito que essas coisas tenham acontecido%u201D, afirmou Dilma. Foto: Roberto Stuckert Filho (Foto: Roberto Stuckert Filho)
"Lamento muito que essas coisas tenham acontecido%u201D, afirmou Dilma. Foto: Roberto Stuckert Filho
Ao comentar o ataque sofrido pelo candidato Jair Bolsonaro, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) lamentou a agressão e disse que “quando se planta ódio você colhe tempestade”. 

Após visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, a petista se disse preocupada com o clima de ódio que se disseminou pelo país nos últimos anos e afirmou que esta eleição deve ser uma oportunidade para o Brasil voltar a priorizar o diálogo. 

“O Brasil é um país que não gosta do ódio. Nós temos que recompor nossa capacidade de diálogo. O ódio, quando se planta, você colhe tempestade. Foi assim em qualquer lugar do mundo. Quando se radicaliza, se incentiva a perseguição. Lamento muito que essas coisas tenham acontecido”, afirmou Dilma. 

No início da semana o PT acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) contra Bolsonaro após o candidato afirmar durante um evento de campanha que “defende fuzilar a petralhada”. 

O vídeo foi divulgado nas redes sociais de Bolsonaro e gerou grande repercussão, com críticas de vários adversários na corrida presidencial. Os petistas criticaram a fala e entraram com ação na Justiça argumentando que houve injúria eleitoral e incitação ao crime.

Jair Bolsonaro era escoltado pela Polícia Federal no ato de campanha. O homem que esfaqueou o candidato foi identificado como Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos, solteiro, mineiro de Montes Claros, no Norte de Minas. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.