Congresso Senado aprova projetos consensuais em semana de esforço concentrado Uma das propostas dá prioridades a mulheres, crianças e pessoas com deficiência vítimas de violência em exames de corpo de delito

Por: Agência Brasil

Publicado em: 04/09/2018 20:53 Atualizado em: 04/09/2018 22:51

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Em semana de esforço concentrado durante o período eleitoral, os senadores aprovaram nesta terça-feira (4) dois projetos com apelo popular e considerados consensuais no Congresso Nacional. De maneira simbólica, o Senado aprovou a proposta que dá prioridades a mulheres, crianças e pessoas com deficiência vítimas de violência em exames de corpo de delito. Também foi aprovado o projeto de lei que obriga escolas a oferecerem curso de primeiros socorros para professores e funcionários. Como já passaram pela Câmara, ambas as matérias seguem agora para sanção presidencial.

O texto que altera o Código de Processo Penal no item sobre o exame de corpo de delito foi relatado pela senadora Simone Tebet (MDB-MS). A parlamentar destacou a importância da proposta e explicou que a prioridade se estende a vítimas de violência adolescentes, idosos e pessoas com deficiência, além de mulheres que foram violentadas em ambiente doméstico e familiar. Considerado indício material de um crime, o exame é feito em pessoas que sofreram violência para fins de provas.

Durante as discussões, as senadoras Rose de Freitas (PODE-ES) e Marta Suplicy (MDB-SP) pediram a palavra para elogiar a proposta. "Um projeto que parece ser singelo e simples, mas tem uma repercussão de ordem prática fundamental na vida de mulheres vítimas de violência não só sexual, mas violência física e psicológica, e também, a partir de agora, vai ter uma relevância de ordem prática decisiva na vida das pessoas mais vulneráveis, que são as crianças, as pessoas com deficiência, os adolescentes e os idosos", afirmou Simone Tebet.

Logo depois, os senadores defenderam a aprovação da matéria que, se sancionada pelo presidente Michel Temer, será batizada de Lei Lucas. O projeto de lei obriga estabelecimentos de ensino da rede pública a fornecer curso de noções básicas de primeiros socorros a seu corpo docente e funcional. A determinação valerá para creches e escolas de nível básico e infantil.

Há pouco menos de um ano, o estudante Lucas Zamora (LINK), de 10 anos, faleceu em decorrência de asfixia, dois dias depois de se engasgar com um cachorro-quente que comia durante um passeio escolar em Campinas (SP). Relatora da proposição, a senadora Rose de Freitas argumentou que se houvesse pessoas preparadas para socorrer o menino, ele poderia ter sobrevivido ao episódio.

"No Brasil, cerca de 4,5 mil crianças de 0 a 14 anos morrem por ano vítimas de vários tipos de acidente, dentre eles engasgos e pequenos acidentes dentro da escola, segundo a ONG Criança Segura", disse a relatora. "A escola tem o papel não somente de ensinar, mas de oferecer educação de qualidade e de proteger, guardar nossas crianças e adolescentes. Não é despesa a mais, não é privilégio, é apenas atuar adequadamente na emergência ou urgência que comprometa a integridade de algum estudante, de alguma criança", acrescentou.

Ordem do dia

Após as votações, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE) anunciou para amanhã, a partir das 10h, a Ordem do Dia para votação de outras propostas que estavam na pauta de hoje.

Além disso, ele prometeu colocar para deliberação dos colegas a medida provisória que facilita ao governo diminuir o preço do óleo diesel. Fruto de acordo com os caminhoneiros durante a greve de junho, a matéria foi aprovada nesta tarde pelos deputados, também durante a pausa que fizeram nas campanhas políticas.

"Quero pedir a todos senadores que amanhã estejam presentes para votar aqui as matérias já consensuadas com os líderes partidários", disse Eunício, convocando a sessão deliberativa.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.