Decisão PT insiste em Lula e vai acionar ONU e STF, afirma Haddad Com isto, a sigla tentará reverter a decisão do Tribunal Superior Eleitoral, que barrou a candidatura do ex-presidente Lula

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 03/09/2018 18:22 Atualizado em: 03/09/2018 18:32

Foto: Ricardo Stuckert/Agência PT
Foto: Ricardo Stuckert/Agência PT
Em coletiva de imprensa, concedida nesta segunda-feira (3), o ex-ministro Fernando Haddad informou que o Partido dos Trabalhadores procurará ainda hoje o Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU). Com isto, a sigla tentará reverter a decisão do Tribunal Superior Eleitoral, que barrou a candidatura do ex-presidente Lula. 
 
"Conforme anunciado no sábado, a intenção era recorrer da decisão do TSE, e hoje expusemos ao presidente Lula todas as possibilidades jurídicas que estão à mão. Ele tomou a decisão de peticionar junto à ONU para que eles se manifeste sobre a decisão das autoridades eleitorais", disse Haddad na superintendência da Polícia Federal de Curitiba.  
 
Os representantes legais do petista utilizaram do comunicado previamente concedido pelo conselho da ONU para endossar a defesa do ex-presidente. Nele, o Comitê de Direitos Humanos defendia que Lula deveria gozar de seus direitos políticos. Porém, a tática não foi bem quista pelo TSE, uma vez que, dos ministros presentes no julgamento, apenas Edson Fachin entendeu que Estado brasileiro não poderia desrespeitar a determinação.

Além da organização, o partido entrará com recurso no STF. Desta vez, o processo poderá passar pela Segunda Turma, já que Luís Roberto Barroso e Rosa Weber, que compõem a Primeira Turma, não podem julgar o caso novamente. 

Haddad fez uma visita ao ex-presidente e companheiro de chapa na manhã desta segunda. O candidato a vice chegou às 9h30 na sede da PF, acompanhado da candidata a deputada federal, Gleisi Hoffmann, presidente do partido, além da esposa, Ana Estela e do advogado Cristiano Zanin. O encontro durou mais de duas horas.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.