Investigação Presos 2 suspeitos de matar e esquartejar família de bolivianos

Por: AE

Publicado em: 10/01/2019 15:24 Atualizado em:

Família de bolivianos. Foto: Polícia Civil/ Divulgação
Família de bolivianos. Foto: Polícia Civil/ Divulgação
Dois suspeitos de terem participado da morte de um casal de bolivianos e do filho deles foram presos, após terem a prisão temporária decretada pela Justiça, na noite desta quarta-feira (9). Os corpos das vítimas, que estavam desaparecidas desde 23 de dezembro, foram encontrados esquartejados na noite de terça (8) em uma casa de Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo.

De acordo com a Polícia Civil, os suspeitos negaram a participação direta no crime, mas entraram em contradição durante seus depoimentos. A prisão foi autorizada para evitar a fuga deles.

Os suspeitos Miguel Alvaro Bautista Silva e Roberto Kally Javier são amigos do principal suspeito, Gustavo Vargas Arias, que está foragido e também teve a prisão decretada. Arias é cunhado de Irma Morante Sanizo, de 38 anos, uma das vítimas. Ela e o marido, Jesus Reynaldo Condori Sanizo, de 39 anos, eram donos de uma pequena confecção no Brás, em São Paulo. O filho do casal, Gian Abner Morante Condori, de 8 anos, também foi assassinado.

Arias veio da Bolívia para trabalhar com as vítimas e, de acordo com o delegado Eliardo Amoroso Jordão, a principal hipótese é de que o crime teve motivação financeira.

O cunhado estava interessado em assumir os negócios da família e teria pedido ajuda aos suspeitos. Para um deles, Sanizo devia cerca de R$ 1,8 mil. Jordão espera a prisão de Arias para esclarecer como e onde o crime aconteceu. Acredita-se que os três foram mortos em São Paulo, tiveram os corpos cortados, colocados em malas e levados para a casa alugada em Itaquaquecetuba.

A investigação apontou que Arias se encontrou com um dos suspeitos no dia 7 de janeiro, quando já tinha deixado de fazer contato com a própria família.

Segundo o delegado, o cônsul da Bolívia esteve na delegacia, em Itaquaquecetuba, para tomar ciência das investigações e confirmou que toda a polícia boliviana está buscando o suspeito. É dado como certo que ele fugiu para o país vizinho.

Os corpos do casal e da criança foram encontrados esquartejados e enrolados em camadas de plástico, no interior de três malas grandes, no banheiro da casa. O imóvel tinha sido alugado por Arias com o pretexto de servir como depósito de máquinas de confecção. Até a tarde desta quinta-feira, 10, a família não tinha decidido se o sepultamento seria em São Paulo ou na Bolívia.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.