inocente Goleiro Bruno é inocentado em caso de vídeo com mulheres Em vídeo, divulgado no mês passado, ele aparece ao lado de mulheres em um bar no momento em que deveria estar prestando serviços a uma entidade de apoio aos detentos

Por: AE

Publicado em: 06/11/2018 13:30 Atualizado em:

Foto: Reprodução / Twitter
Foto: Reprodução / Twitter
O goleiro Bruno, preso desde 2010 pela morte de Eliza Samúdio e pelo cárcere privado do filho Bruninho, foi absolvido no processo administrativo disciplinar instaurado para apurar o caso do vídeo, divulgado no mês passado, em que ele aparece ao lado de mulheres em um bar no momento em que deveria estar prestando serviços a uma entidade de apoio aos detentos. O processo foi finalizado na segunda-feira (5).

Depois do ocorrido, Bruno Fernandes de Souza teve suspenso seu direito de trabalhos externos. A decisão de agora favorece o atleta para que ele obtenha a progressão de pena e seja beneficiado com o regime semiaberto.

Uma comissão formada dentro do presídio de Varginha (MG), onde Bruno cumpre pena, foi a responsável por inocentá-lo no caso do vídeo. Após ouvir testemunhas, a conclusão foi de que ele não cometeu irregularidades ao se encontrar com duas mulheres e ser flagrado com uma lata de cerveja sobre a mesa.

Futuro

O advogado de defesa Fábio Gama disse que a Justiça deve ser avisada oficialmente sobre a absolvição ainda nesta terça-feira, 6, e voltará a analisar o pedido de liberdade.

O Ministério Público solicitou que Bruno passe por um exame criminológico antes de ser colocado na rua, mas o juiz ainda não definiu se isso será necessário. "Acredito que ele não terá de fazer, até porque esse exame não é realizado aqui na região", falou o advogado.

Fábio Gama afirmou ainda à reportagem que, com a progressão de pena, Bruno poderá dormir em casa e voltar a jogar futebol profissionalmente - o goleiro atuava no Flamengo. Segundo ele, no entanto, não há uma expectativa sobre quando isso ocorrerá. "Em se tratando de nossa Justiça, fica difícil ter uma previsão" finalizou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.