• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Educação Candidato é retirado de local de prova do Enem por suspeita de documento falso Estudante Alan Cavalcante, 17 anos, estava acompanhado do pai, o vendedor Elano Cavalcante

Por: Agência Brasil

Publicado em: 06/11/2016 17:05 Atualizado em: 07/11/2016 18:37

Em Fortaleza, um candidato deixou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por suspeita de apresentar documento de identidade falso.

O estudante Alan Cavalcante, 17 anos, estava acompanhado do pai, o vendedor Elano Cavalcante.

Segundo o vendedor, o filho apresentou o mesmo documento ontem (5) e foi autorizado a fazer as provas do primeito dia do Enem.

“O menino se preparou, veio aqui bem relaxado, mas essa situação o deixou estressado e constrangido. Ele fez a prova de ontem com essa mesma identidade. Se ele entrou ontem com esse documento, hoje não pode entrar. E ainda o constrangeram ao dizer que a identidade era falsa”, disse Elano.

A Agência Brasil procurou o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo Enem, para se manifestar sobre o caso e aguarda resposta.

No Ceará, mais de 500 mil candidatos se inscreveram para fazer as provas do Enem. Dos 1.225 locais com aplicação do exame, em apenas um não houve a aplicação das provas por causa da ocupação de estudantes em protesto contra a PEC do Teto de Gastos Públicos.

A Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (UFC), no bairro Benfica, está ocupada desde a sexta-feira (4). Cartazes foram afixados na entrada do prédio alertando os candidatos que o Enem no local foi adiado para os dias 3 e 4 de dezembro.

Nos outros prédios da UFC no campus Benfica, as provas ocorrem normalmente. Neste segundo dia de aplicação do exame, o movimento foi tranquilo nas entradas dos Centros de Humanidades I e II, na Avenida da Universidade. A poucos minutos para o fechamento dos portões, alguns candidatos apertaram o passo para chegar a tempo.  Ninguém chegou atrasado.

O estudante do 2º ano do ensino médio Airton César, 16, foi para a prova reforçado, com água, biscoito e achocolatado. Como ainda não concluiu o ensino médio, ele se inscreveu no Enem como forma de se preparar para o exame do ano que vem, cuja nota quer usar para entrar no curso de Ciências da Computação. “Muitas pessoas falaram que na primeira vez a gente fica bem nervoso, mas eu não senti tanto nervosismo. Essa prova ainda não é para valer, mas, no próximo ano, será.”

Dos 515 mil candidatos do Enem no Ceará, 193 mil são estudantes da rede estadual de ensino. A Secretaria da Educação (Seduc) montou um esquema de apoio para esses candidatos com auxílio para transporte e pontos de apoio para entrega de canetas, água e frutas.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.