• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Enem Candidato chegou duas horas antes da abertura dos portões para não perder Enem No começo da tarde, o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou o tema do texto que os candidatos terão que escrever neste domingo: %u201CCaminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil%u201D.

Por: Agência Brasil

Publicado em: 06/11/2016 13:44 Atualizado em: 07/11/2016 18:39

Crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil
Crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil

Primeiro candidato a chegar neste domingo (6) para a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no Colégio Santo Inácio, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, Nilson Marcílio estava no local desde as 10h, duas horas antes da abertura dos portões.

Marcílio estudou na Escola Municipal Conde de Agrolongo, na Penha, e pretende cursar alguma faculdade ligada à área da saúde, como medicina, fisioterapia ou educação física. “Essas são as três áreas que eu estou tentando entrar. Vamos ver como vai ser o resultado.”

Ontem (5), primeiro dia do Enem, Marcílio também foi um dos primeiros a chegar. O candidato achou a prova de sábado fácil e disse que estava mais preocupado com a avaliação de hoje, principalmente com a redação. No começo da tarde, o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou o tema do texto que os candidatos terão que escrever neste domingo: “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”.

Skate, bicicleta, moto, táxi, ônibus, BRT, metrô foram os meios de locomoção utilizados pelos candidatos para chegar ao local das provas neste domingo. A vendedora ambulante Célia dos Santos também compareceu oferecendo canetas esferográficas pretas de corpo transparente, as únicas permitidas para fazer o Enem, além de biscoitos e outras guloseimas.

Célia faz ponto há 22 anos no Colégio Pedro II do Humaitá, também em Botafogo, mas como a unidade está ocupada pelos estudantes por motivos políticos, ela resolveu arriscar a sorte em outro colégio. No entanto, considerou o movimento fraco. “O pessoal veio preparado”, avaliou.

Expectativa

O estudante Matheus Raposo ainda não decidiu que faculdade pretende seguir e está indeciso entre economia, direito, estatística, jornalismo. “Vai pela nota. É muita coisa. Fui bem ontem e se for bem hoje de novo vai abrir um leque maior”, disse. Raposo considera matemática seu forte e por isso estava confiante para as provas de hoje.

A candidata Paula Barbiere, que ontem achou as provas de ciências humanas fáceis, mas as de exatas “bem difíceis”, está fazendo o Enem para mudar de profissão. Formada em direito, Paula deixou de exercer a profissão de advogada e pretende passar para a Universidade Federal Fluminense (UFF), para cursar veterinária.

Os portões do Colégio Santo Inácio fecharam exatamente às 13h e Paula Di Paula, que chegou cerca de três minutos atrasada, não conseguiu entrar. Ela já fez duas faculdades, de matemática e letras, e ia fazer a prova do Enem “para dar apoio à namorada”. Disse que talvez se candidate ao exame no ano que vem, para cursar música.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.