Dados Fevereiro tem menor número de crimes violentos contra mulheres no estado

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 15/03/2019 09:18 Atualizado em: 15/03/2019 11:13

Foto: Peu Ricardo/DP.
Foto: Peu Ricardo/DP.
De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), o mês de fevereiro de 2019 teve o menor número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) contra mulheres de toda série histórica. Segundo os dados que a SDS divulgou, o estado chegou ao 15º mês consecutivo de redução de homicídios, tendo 33,99% de redução em comparação a fevereiro de 2018.

De todas as 275 vítimas registradas, 10 eram mulheres, sendo três crimes considerados como feminicídio, quando a mulher é morta pela condição do gênero feminino, configurando o último mês de fevereiro o menos violento para as mulheres desde 2004, quando a SDS iniciou a atual metodologia de contagem de crimes contra a vida. O número aponta que houve 61,5% de redução em relação ao mesmo mês de 2018, quando foi registrado o homicídio de 26 mulheres.

"A violência doméstica contra a mulher ocorre muitas vezes de forma silenciosa, por anos, dentro do ambiente familiar e íntimo. As estatísticas mostram que, se não houver denúncia e intervenção das autoridades, haverá um agravamento das agressões, culminando em feminicídio. O aumento das denúncias desse tipo de crime é importante, porque demonstra maior encorajamento para procurar ajuda e quebrar esse ciclo nefasto. Amigos, familiares, vizinhos são fundamentais nessa rede de proteção. Calar e se eximir é ser conivente com o agressor. Do ponto de vista da política pública, estamos em constante capacitação dos profissionais de segurança e fortalecimento das Delegacias da Mulher, além de exames e perícias que comprovem os crimes", afirmou o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua.

Apesar dos dados monstrarem queda na quantidade de mortes de mulheres ocorridas no último mês de fevereiro no estado, as denúncias de violência doméstica, que considera agressões física, moral e psicológica, aumentaram 13,7%, passando de 2.970 em fevereiro de 2018 para 3.377 no mês correspondente deste ano. No entanto, o número de boletins de ocorrência registrados apresentou queda de 30,56% em comparação com os 216 de fevereiro do ano passado, sendo realizados apenas 150 no último mês.

De acordo com a SDS, a Zona da Mata demonstrou a queda mais acentuada entre as macrorregiões de Pernambuco, com -47,83% (de 46 para 24 queixas prestadas). As demais regiões também diminuíram esse índice criminal, com o Sertão variando em -35,56%, o Recife com -29,41%, a Região Metropolitana (exceto a capital) alcançando -23,81% e o Agreste com -10,71%.

No ano passado, foram inauguradas Delegacias da Mulher no Cabo de Santo Agostinho e em Afogados da Ingazeira. Além delas, há outras nove unidades especializadas em todo o Estado: Santo Amaro (Recife), Prazeres (Jaboatão dos Guararapes), Paulista, Vitória de Santo Antão, Goiana, Caruaru, Surubim, Garanhuns e Petrolina.

"O Pacto pela Vida, liderado pelo governador Paulo Câmara, tem dado resultados significativos no combate à criminalidade. Mas não há nada a comemorar, e sim intensificar os trabalhos integrados, envolvendo cada vez mais os municípios e a sociedade civil. É possível fazer mais, recuar a margem de atuação do crime, poupar maior número de vidas, fortalecer a cultura e paz e dar tranquilidade à população. Todos, de alguma forma, podem ajudar Pernambuco nessa cruzada contra a violência, especialmente contra aqueles que atentam contra o bem maior do ser humano, que é a vida", analisa Antonio de Pádua.

Durante o último mês de setembro foram realizadas 80 prisões em flagrantes por homicídio. De acordo com a SDS, a maior parte desses crimes foi motivada por tráfico de drogas, acertos de contas e outras atividades criminais, relacionados com 66,91% dos boletins de ocorrência. A segunda maior motivação são os conflitos na comunidade (18,55%), e a terceira, os conflitos afetivos ou familiares (4%), ao lado dos excludentes de ilicitude (4%).


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.