POLÍCIA Definida data da audiência de instrução de professor norte-americano

Publicado em: 14/03/2019 12:06 Atualizado em: 14/03/2019 12:18

A audiência acontecerá no dia 15 de abril. Foto: Polícia Civil/Divulgação
A audiência acontecerá no dia 15 de abril. Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Justiça já definiu a data da audiência de instrução, 15 de abril, do professor norte-americano Paul Steven Perron, suspeito de estuprar duas crianças de 11 e 13 anos de idade. A audiência acontecerá na Segunda Vara dos Crimes contra Criança e Adolescente do Recife onde testemunhas prestam depoimento em juízo. Após isso, acusação e defesa têm um prazo de dez dias para apresentar, de forma escrita, suas alegações ginais. Concluido este trâmite, o juiz responsável pelo processo pode proferir a sentença.

Na manhã do dia 22 de dezembro, a polícia anunciou a prisão do homem de 55 anos que teria efetuado um  pagamento para que a criança fosse até o flat em que ele mora no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife. Segundo a delegada Beatriz Leite, titular da Delegacia Seccional de Boa Viagem, o professor confessou ter mantido relações sexuais com a criança, acreditando que ambas tivessem entre 14 e 15 anos. Ainda de acordo com a delegada, o americano informou que tinha o hábito de levar menores de idade ao seu flat. Ele reside no Recife há um ano e meio.

A denúncia chegou por meio dos pais da criança de 11 anos, que resolveram pedir ajuda à polícia ao descobrirem, através das redes sociais, que a filha tinha feito um programa sexual. A menina teria postado fotos ingerindo bebida alcoólica, no flat do professor, em seu perfil no Instagram, o que teria chamado a atenção da sua irmã mais velha, de 21 anos.

De acordo com a polícia, a menina de 11 anos teria informado que foi convidada pela amiga de 13 anos para fazer o programa com o norte-americano. Ela teria recebido R$ 350 manter relações sexuais com o docente. O professor, ainda segundo a Polícia Civil, tem um bom poder aquisitivo e alto padrão de vida, o que permite que ele esteja sempre viajando. Observando o seu passaporte, a polícia constatoiu que o homem tinha vários carimbos de países considerados rotas de  turismo sexual e exploração de menores. A polícia disse que vai continuar as investigações do caso e espera que, com a divulgação da imagem do suspeito, adolescentes e crianças que mantiveram relações sexuais com ele, procurem a Polícia Civil, acompanhada dos pais."Nos procurem para a gente poder esclarecer se há uma rede de pedofilia, se existem pessoas sendo agenciadas e agenciadores", pede a delegada Beatriz.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.