Sertão Duas pessoas são presas em desocupação de terras indígenas Dos 12 imóveis, apenas sete foram desocupados em virtude de dois deles estarem com endereço impreciso e três estarem sendo ocupados por pessoas idosas

Publicado em: 14/09/2018 12:38 Atualizado em: 14/09/2018 12:43

Duas pessoas foram presas pela Polícia Federal durante uma desocupação de 12 imóveis ocorrida na última quinta-feira (13), numa área indígena localizada entre os municípios de Tacaratu, Jatobá e Petrolândia, no Sertão Pernambucano. As pessoas foram detidas por crime de desobediência. A área de 8,1 mil hectares estava ocupada há mais de 30 anos, enfrentando embate judicial. 

Um total de cem policiais federais participaram da operação para remoção das famílias não indígenas que estavam nos imóveis irregurlamente. Batizada de Pankararu, a ação teve início às 6h da última quinta e contou com o apoio do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal-COT, Grupo de Pronta Intervenção-GPI e de Policiais Militares do BEPI. A desocupação foi autorizada pela 38ª Vara da Justiça Federal de Serra Talhada, que determinou o praazo de 45 dias para a saída definitiva dos posseiros das terras indígenas. 

Quando os policiais federais chegaram ao local, foram recebidos a pedradas. Alguns posseiros portavam facões para intimidar a ação policial. No entanto, grupo foi contido e a operação ocorreu de forma pacífica, sem feridos. Uma ambulância do corpo de bombeiros foi deslocada para a área, caso houvesse necessidade de uma emergência. 

Dos 12 imóveis, apenas sete foram desocupados em virtude de dois deles estarem com endereço impreciso e três estarem sendo ocupados por pessoas idosas. O que levou os oficiais de justiça a reavaliar a situação e dar mais um prazo de 15 dias para que as famílias dessas três casas pudessem ter mais tempo para sair de suas residências. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.