Independência Desfile de Sete de Setembro leva 20 mil pessoas ao bairro da Imbiribeira Evento começou por volta das 8h30 e durou cerca de duas horas, na Avenida Mascarenhas de Moraes.

Publicado em: 07/09/2018 14:03 Atualizado em: 07/09/2018 14:12

Foto: Paulo Paiva/DP (Foto: Paulo Paiva/DP)
Foto: Paulo Paiva/DP
Descontentamento com a crise econômica e política, mas esperança num futuro melhor por meio da reverência ao país. O discurso da vontade de resgatar o amor pelo Brasil foi quase unanimidade entre as cerca de 20 mil pessoas que estiveram na Avenida Mascarenhas de Moraes, na manhã desta sexta-feira (7), para acompanhar o desfile cívico-militar em memória dos 196 anos da Proclamação da Independência. Sem a presença do governador Paulo Câmara, o desfile durou cerca de duas horas. Em um percurso de dois quilômetros, desfilaram 3,5 mil militares e 3,1 mil civis.

O evento começou com a revista da tropa, às 7h32, realizada pelo comandante militar do Nordeste, o general Marco Antônio Freire Gomes, e pelo presidente do Tribunal de Justiça (TJPE), responsável por representar o governador, o desembargador Adalberto de Oliveira. Por volta das 8h10, houve o hasteamento das bandeiras e, vinte minutos depois, a Escola de Referência em Ensino Médio (Erem) Ginásio Pernambucano abriu o desfile das escolas. Participaram 48 escolas e entidades civis, sendo 28 unidades estaduais, nove privadas e oito municipais.

“O sete de setembro representa aquilo que temos de mais sagrado como nação. Coincidentemente, o Guararapes representa esse amálgama. Aqui nos demos o grito da independência do nosso país. De forma que, independente da conjuntura, de qualquer tipo de situação, estamos aqui hoje para congraçarmos e festejarmos esse aniversário”, afirmou o comandante militar do Nordeste. “Essa é a reafirmação do respeito do povo às forças armadas. E principalmente à segurança que elas nos trazem. Esse desfile é a prova viva de que a população está presente e prestigiando”, acrescentou o presidente do TJPE.

O público começou a encher avenida por onde passou o desfile por volta das 8h30, mais tarde do que em anos anteriores. A contadora Jerlane Diniz, 37 anos, levou pela primeira vez a filha, Alice Diniz, 5. “Viemos de Olinda, pois ela ouviu na escola sobre o desfile e quis ver”, disse. Assim como ela, a cobradora de ônibus Rosalva Teixeira, 55, vestiu verde e amarelo para a ocasião. “É importante para as crianças, nesse momento que o país passa, saber mais sobre a pátria. O Brasil está precisando de jovens que tenham foco na educação e não nas drogas”, disse.

Assista nossa cobertura do desfile


Assim como ela, boa parte dos presentes mencionaram as crises que o país vem enfrentando. “O Brasil está muito ruim, então temos que valorizar aquilo que temos de bom.  Precisamos melhorar em educação, saúde, segurança. Na política, está tudo difícil”, afirmou a estudante Daiana Carvalheiro, 37.
Foto: Paulo Paiva/DP (Foto: Paulo Paiva/DP)
Foto: Paulo Paiva/DP

O desfile acontece na Imbiribeira há cinco anos. Neste ano, o cortejo militar foi aberto por carros de todas as forças, seguido das unidades de reserva. Participaram cerca de 850 militares da Força Aérea Brasileira (FAB), divididos os grupamentos feminino e de saúde, que não desfilavam há quatro anos. Também estiveram presentes 322 integrantes da Marinha, 1,5 mil do exército, 500 policiais militares, 300 do Corpo de Bombeiros e 250 da Guarda Municipal. O desfile foi encerrado por volta das 10h20, com a passagem das viaturas. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.