Nesta sexta Competição de pescadores quer retirar cerca de 20 toneladas de lixo do Rio Capibaribe Promovida pela ONG Recapibaribe e Rotaract Club Recife Encanta Moça/Rotary, competição deve contar com a participação de 100 pescadores

Publicado em: 31/08/2018 11:07 Atualizado em: 31/08/2018 11:18

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

Para estimular a conscientização sobre a necessidade de não jogar lixo no rio e retirar a maior quantidade de lixo possível do Rio Capibaribe, a ONG Recapibaribe e o Rotaract Club Recife Encanta Moça, do Rotary, promovem, nesta sexta-feira (31.08), às 7h30, uma competição ambiental entre 100 pescadores. A ideia é retirar pelo menos 20 toneladas de lixo do rio. Os pescadores sairam após tomar um café da manhã. A previsão de retorno será às 12h30, na rampa no rio Capibaribe, na Av. Beira Rio, próxima ao Sport Club do Recife.

Esta é a 9ª vez em que a competição é realizada. Para viabilizar o projeto, o Rotaract Club Recife Encanta Moça fez uma vakinha online, arrecadou dinheiro e vendeu camisas. A divulgação do projeto sensibilizou a Concessionária Fiat Italiana, que doou 10 mil reais e se tornou o patrocinador master do projeto. Também colaboraram 27 pessoas, que doaram por meio de uma Vakinha Virtual que foi criada.

O dinheiro arrecadado foi utilizado na aquisição de equipamentos de proteção individual para todos os pescadores participantes, compra de cestas básicas para as famílias dos mesmos, promoção de um café da manhã antes da competição e, ainda, para o pagamento de diárias para os pescadores participantes.

Além das diárias, os pescadores que conseguirem recolher recolher mais lixo receberão uma premiação simbólica: o primeiro lugar receberá 500 reais, o segundo 300 reais e o terceiro 200 reais. 

A presidente e fundadora da ONG Recapibaribe Socorro Cantanhede, explica que a ação deste ano está sendo diferente. “Com a ajuda dos meninos do Rotaract, estamos podendo oferecer uma maior compensação para os pescadores e uma maior premiação”, afirma. “Sei que da mesma forma que a causa gerou essa reflexão nos meninos do Rotaract, ela deve deixar essa consciência na cabeça de todos, afinal, o rio é nosso e cabe a todos nós o cuidado com ele”, destaca.

Segundo Camila Velloso, estudante de Direito e diretora de projetos humanitários do Rotaract Club Recife Encanta Moça, se o Recife é conhecido como a Veneza Brasileira, é preciso cuidar da razão que o nomeia desta forma. “Dona Socorro nos procurou para ajudar a arrecadar recursos e aumentar a dimensão do projeto este ano, e ficamos muito felizes em ajudar”, explica a jovem. “Nossa ideia sempre foi ajudar o Rio Capibaribe, valorizar os pescadores e estimular essa consciência que precisa ser de todos na cidade”, conclui. 

Competição - Os pescadores começarão a retirar o lixo do Rio Capibaribe após o café da manhã no Capibar. Uma balança emprestada pela Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) será colocada em uma rampa próxima ao Sport Club do Recife, na Zona Oeste do Recife, e nesta balança serão realizadas todas as medições individuais de lixo recolhido.

Caminhões da Emlurb também farão a retirada do lixo recolhido. No final do dia, vencerão os pescadores com a maior soma de quilos de lixo recolhido. A meta mínima de cada pescador é de 200 quilos de lixo a ser retirado do rio.

Rio Capibaribe
– Com 240 km de extensão e cortando 42 municípios do estado de Pernambuco – entre eles a capital, Recife -, o Rio Capibaribe nasce na serra de Jacarará, no município de Poção, em Pernambuco e deságua na Bacia do Pina, no Oceano Atlântico. No total, a Bacia do Capibaribe tem cerca de 7.454,88 km².

Em análise feita pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) em 2016, o curso de água está poluído em toda a sua extensão. Isso se deve, principalmente, às elevadas concentrações de amônia, fósforo e coliformes termotolerantes. O lançamento de esgotos domésticos e efluentes industriais acima da capacidade de autodepuração do rio também contribui para as elevadas concentrações de nitrogênio amoniacal, fósforo e coliformes fecais.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.