lançamento Mural da esperança é pintado por crianças na Fundação Altino Ventura O desenho marca o início de uma campanha dedicada a arrecadar fundos para construção de um centro de fisioterapia aquática na unidade

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 29/08/2018 08:02 Atualizado em:

Mural marcou o lançamento da campanha do centro. Foto: Thalyta Tavares/Esp.DP
Mural marcou o lançamento da campanha do centro. Foto: Thalyta Tavares/Esp.DP
Graziella Tavares, 2 anos e 9 meses, foi a primeira a colorir o coração desenhado na parede branca. De vermelho, os dedos da menina com síndrome congênita do zika formaram as pinceladas iniciais do mural criado pelo artista e designer Rafa Mattos na parte externa do centro especializado em reabilitação Menina dos Olhos, da Fundação Altino Ventura, na Iputinga. O desenho marca o início de uma campanha dedicada a arrecadar fundos para construção de um centro de fisioterapia aquática na unidade.

A hidroterapia, como é conhecida, é fundamental para crianças como Graziella. O centro a ser construído atenderá 450 pessoas mensalmente, das quais 150 serão pacientes com síndrome congênita do zika vírus já atendidos na FAV. “A água promove um relaxamento muscular maior, o que é importante para criança que têm um tônus muscular alto, ou seja, mais dificuldade para realizar movimentos de dobrar. É o caso daquelas com a síndrome do zika”, explicou a fisioterapeuta especializada em fisioterapia aquática da FAV Stella Guerra. Segundo ela, a piscina também cumpre um papel lúdico, motivando os pacientes a realizar os movimentos. “Construir o centro em um ano e seis meses, dois anos no máximo, seria o ideal, considerando que temos crianças atendidas com a síndrome na faixa dos dois anos e meio, três anos”, explicou a vice-presidente da FAV, a oftalmologista Liana Ventura.

O artista Rafa Mattos emprestou a marca do “Plante Amor, Colha o bem” para a produção de produtos como camisas, estojos e garrafas para serem vendidas no site da FAV. Toda a quantia adquirida com a venda será revertida para o projeto. “É importante disseminar o amor e mostrar para as pessoas a permeabilidade social disso. Ao redor de um projeto que faz a diferença no cotidiano de pessoas que precisam. Essa é uma causa social de todo mundo”, afirmou. Além da venda de produtos, a fundação também está recebendo doações via transferências bancárias e até mesmo de materiais de construção.
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.