mortalidade infantil Pernambuco registra menor índice de mortalidade infantil Em 2007, a taxa de mortalidade para cada mil nascidos era de 20,1 e em 2017 caiu para 13,7 óbitos, uma redução de 35,1%

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 29/08/2018 07:54 Atualizado em:

Programa Mãe Coruja é uma das ações que contribuíram para a redução da mortalidade infantil em Pernambuco nos últimos dez anos. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
Programa Mãe Coruja é uma das ações que contribuíram para a redução da mortalidade infantil em Pernambuco nos últimos dez anos. Foto: Samuel Calado/Esp.DP
Pernambuco registra o menor índice de mortalidade infantil da história, em uma década, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. Os dados mais recentes de 2017 mostram que há 13,7 óbitos para cada mil nascidos vivos e em 2007, esse índice era de 20,1, uma redução do acumulado de 35,1%. Em números absolutos, em 2007 foram registrados 3.229 óbitos infantis em um total de 145.130 bebês nascidos vivos em Pernambuco. Já em 2017, último ano em que os dados estão consolidados, foram 1.970 mortes com 143.919 nascidos vivos.

Analisando a série histórica, no período específico entre 2015 e 2016, foi registrado um aumento da taxa de mortalidade infantil, apesar de uma redução de 3,4% no número de óbitos infantis (foram 2.264 óbitos de menores de 1 ano em 2015, contra 2.188 em 2016). Este fato sofreu o efeito da redução de 8,4% no número de nascidos vivos de mães residentes no estado, já que a taxa é obtida a partir do número de óbitos de crianças menores de um ano de idade dividido pelo número de nascidos vivos multiplicado por 1.000. Assim, a taxa de mortalidade aumenta se o número de nascidos vivos diminui. 

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Iran Costa, é importante ressaltar que, nesse período, o estado registrou uma epidemia da Síndrome Congênita do Zika Vírus (SCZ) e o desconhecimento dos seus efeitos, acrescido dos fatores condicionantes para ocorrência dos óbitos infantis, pode justificar, em parte, o aumento da taxa em 2016. “Os dados mais recentes da taxa de mortalidade infantil apontam que as políticas públicas implantadas em Pernambuco com o objetivo da melhoria da qualidade da assistência à saúde para a prevenção e redução da mortalidade infantil já mostram resultado. No ano passado, atingimos a marca de 13,7 óbitos infantis a cada mil nascidos vivos – a menor da nossa história”, disse o secretário estadual de Saúde, Iran Costa.

Entre as ações estaduais que resultaram na redução da mortalidade infantil se destaca o programa Mãe Coruja, presente em 105 municípios pernambucanos. Além da qualificação da rede materno-infantil, com o estímulo ao parto normal, a ampliação de acesso aos métodos contraceptivos e a formação contínua dos profissionais da rede. Ao mesmo tempo, o estado atuou na implantação do pré-natal de alto risco na rede própria, principalmente no interior, nos hospitais regionais e nas Unidades Pernambucanas de Atenção Especializada (UPAEs). A Secretaria Estadual de Saúde destacou ainda que os  dados de mortalidade infantil de Pernambuco, no ano de 2017, já constam no banco de dados do Ministério da Saúde. O sistema de informações do Governo Federal (Datasus), que divulga esse tipo de informação, só tem disponível os dados de 2016.
 
 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.