Diario nos Bairros Largo holandês em vazio urbano em Casa Forte Há dois meses, moradores dos dois bairros e representantes de associações, em parceria com a Emlurb, uniram-se em mutirão de limpeza para remoção da sujeira, capinação e pintura de calçadas

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 10/08/2018 08:46 Atualizado em: 10/08/2018 08:55

Um terreno baldio invadido pelo mato e que durante anos serviu como lugar de descarte de lixo residencial, restos de metralhas de construção e todo tipo de entulho, vai passar a se chamar oficialmente Largo do Holandês. Projeto de Lei Ordinária nº 123/2018, de autoria do vereador Jayme Asfora tramita desde o mês de junho passado na Câmara Municipal do Recife. Situado na confluência das ruas Samuel Lins, bairro de Casa Forte e Harmonia, em Casa Amarela, Zona Norte da cidade, a área vem passando por um processo de revitalização, dentro do projeto Recife dos Encontros, criado pela Prefeitura por meio da Secretaria Executiva de Inovação Urbana em parceria com segmentos da sociedade. 

Há dois meses, moradores dos dois bairros e representantes de associações, instituições e coletivos em defesa do meio ambiente, em parceria com a Emlurb, uniram-se em mutirão de limpeza para remoção da sujeira, capinação e pintura de calçadas. Na sequência, foram plantadas cinco mudas de Ipê rosa, três de caraibeiras e flamboyant. “A proposta é requalificar vazios urbanos promovendo mais encontros, mais conexões, entre as pessoas e fazer com que o cidadão possa viver, ainda mais, a sua cidade. Para tanto, não existe orçamento determinado, pois tudo funciona a partir de parcerias”, revelou a arquiteta Patrícia Trindade Monteiro.

Segundo ela a iniciativa partiu dos próprios moradores. A Secretaria Executiva de Inovação Urbana acolheu o pleito. Para o empresário Yves Nogueira, um dos representantes do grupo Casa Forte Mais Segura, já houve mudança. “A paisagem é outra, mas ainda falta muita coisa. Vamos cuidar do Riacho Parnamirim, ajudar a Prefeitura do Recife a desenvolver mais ações no local; Lutar também pela iluminação e por mais segurança. E explicar que neste local funcionou uma rota de ataque durante a Batalha de Casa Forte em 1645.”


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.