• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Recursos Advogado de dono do Ponto do Açaí pede relaxamento da prisão do empresário Defensor também deu entrada em pedido de habeas corpus para tentar tirar cliente da prisão. Leonardo Mendonça segue no Cotel

Publicado em: 13/09/2017 12:08 Atualizado em: 13/09/2017 12:18

Segundo a Polícia Civil, o proprietário do Ponto do Açaí foi o mandante do incêndio criminoso.
Segundo a Polícia Civil, o proprietário do Ponto do Açaí foi o mandante do incêndio criminoso.

A defesa do empresário Leonardo Emanuel Mendonça Lacerda, 36 anos, preso sob a acusação de mandar incendiar a Casa do Pará, em Boa Viagem, entrou com pedido de relaxamento de prisão e também com um habeas corpus para tentar soltá-lo. De acordo com o advogado José Siqueira, os pedidos foram protocolados, respectivamente, na 1ª Vara Criminal do Recife e no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). Leonardo está preso no Centro de Triagem, em Abreu e Lima, desde ontem após ter sido preso em casa, no bairro do Cordeiro. “Os dois pedidos estão sendo analisados pela Justiça.Não há provas que liguem Leonardo ao incêndio”, disse Siqueira.

Segundo a Polícia Civil de Pernambuco, o proprietário do Ponto do Açaí foi o mandante do crime que aconteceu em janeiro deste ano. Além dele, mais duas pessoas estão presas sob a acusação de terem incendiado o estabelecimento, que era vizinho ao do empresário. De acordo com a delegada Beatriz Leite, titular da Delegacia de Boa Viagem, os executores do crime foram Joõa Victor Medeiros da Silva, 22, José Plínio Bezerra dos Santos, 24, e Romildo Soares da Silva, 32. João Victor e José Plínio também foram presos. Romildo ainda está sendo procurado. Segundo a polícia, a motivação do crime foi a disputa por clientes. Ambos estabelecimentos ficam na Avenida Conselheiro Aguiar, uma das mais movimentadas da Zona Sul do Recife.

A delegada afirmou que os executores confessaram o crime. “As imagens do crime foram fundamentais para que a gente pudesse chegar aos executores. Quando as imagens foram veiculadas, as pessoas começaram a identificar o Romildo como um dos executores. Depois que a gente conseguiu identificá-lo e ouvi-lo, chegamos aos outros dois e todos eles confesseram o crime. Ouvindo as testemunhas, ex-funcionários, funcionários das duas casas, ficamos convencidos de que Leonardo, o dono do Ponto do Açaí, foi o mandante desse crime. A motivação foi a disputa pela clientela”, detalhou a delegada.

O incêndio na Casa do Pará aconteceu no dia 20 de janeiro deste ano. O local é conhecido por vender comidas típicas da Região Norte, como tacacá, pato no tucupi e farinhas típicas, além de ser famoso pelo seu açaí. O estabelecimento foi fundado em 1998 por uma família de paraenses. No dia do incêndio, o Corpo de Bombeiros foi acionado por volta da 1h. Duas viaturas de combate a incêndios foram encaminhadas ao local e o fogo só foi controlado por volta das 2h. Não houve vítimas, mas o estabelecimento ficou totalmente destruído. As chamas não se propagaram e não atingiram os estabelecimentos vizinhos.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.