• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Provas Confira os comentários dos professores do CBV sobre o segundo dia do Enem

Por: Anamaria Nascimento

Publicado em: 07/11/2016 08:30 Atualizado em: 07/11/2016 19:42

REDAÇÃO
O Enem cobrou um texto que argumentasse sobre a intolerância que religiões sofrem e não intolerância praticada por religiões. Deve se dar bem o candidato que abordou os direitos humanos e tratou o tema de forma imparcial”
Eduardo Pereira, professor de redação

LINGUAGENS E CÓDIGOS
Popular, gêneros textuais, textos verbal e não-verbal além das questões de literatura. Os textos dos enunciados não foram muito longos, mas a prova se tornou cansativa porque os candidatos tinham mais de quarenta textos para ler, entender e analisar”
Maria Pereira,  professora de língua portuguesa

INGLÊS
“O tempo necessário para um candidato bem preparado ter respondido a prova de inglês variou entre 10 e 15 minutos. Foi uma prova boa, que apareceu com as competências exigidas pelo Enem muito bem distribuídas. Meu destaque vai para a questão que trouxe uma música do cantor Paul McCartney”
Marilson Corcino,  professor de língua inglesa

ESPANHOL
“Teve textos densos e cansativos, mas que proporcionaram condições para boa realização. As cinco questões foram bem distribuídas. A ‘cara’ da prova, porém, estava bem diferente daquilo que o Enem costuma cobrar. Neste ano, ela veio muito semelhante aos vestibulares tradicionais”
Marcos Nascimento,  professor de língua espanhola

MATEMÁTICA
“Foi mais tranquila do que a de 2015. Teve equilíbrio e exigiu competências relacionadas ao que é visto no ensino médio. Os textos foram diretos, o que não deixou a prova cansativa em relação à compreensão. Questões de geometria espacial, análise de logaritmos, análise combinatória e probabilidade apareceram sem demandar raciocínios muito elaborados.”
Erotides Marinho,  professor de matemática

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.