• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Exame Abstenção bate recorde no Enem Número de faltosos (30%) foi o maior registrado nos últimos sete anos da realização do exame. Pernambuco ficou abaixo da média nacional (28,5%)

Por: Anamaria Nascimento

Por: Wagner Oliveira - Diario de Pernambuco

Publicado em: 07/11/2016 08:00 Atualizado em:

Na Unicap, um dos principais locais de prova, correria nos últimos minutos. Foto: Anderson Freire/Esp.DP.
Na Unicap, um dos principais locais de prova, correria nos últimos minutos. Foto: Anderson Freire/Esp.DP.
O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 terminou ontem com 30% de abstenção no país. Foi o maior índice de faltas numa série histórica de sete anos. Em 2009, ano em que a prova se tornou meio de ingresso para universidades públicas do Brasil, foi registrada a ausência de 37,7% dos candidatos. Em Pernambuco, o índice de abstenção ficou abaixo da média nacional. A taxa foi de 28,5%, ou seja, dos 430.684 estudantes inscritos, 122.739 não compareceram às provas. O exame ocorreu dentro do esperado e sem ocorrências graves, de acordo com o balanço do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação (MEC) responsável pela seleção.

A prova de redação foi o destaque do segundo dia. O tema Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil foi considerado atual, relevante e esperado por estudantes e professores. A presidente Inep, Maria Inês Fini, ressaltou a aceitação da prova pela comunidade acadêmica, principalmente em relação ao tema da redação. “Garantimos equidade a todos os participantes e estamos cuidando, igualmente, para que as mesmas condições de realização se repitam na etapa de 3 e 4 de dezembro”, afirmou, referindo-se à aplicação dos testes para 240 mil alunos cujo exame seria nas 364 escolas ocupadas contra a reforma federal no ensino médio e a aprovação da PEC 241.

O estudante do Colégio Boa Viagem (CBV) Samuel Costa, de 17 anos, que tenta uma vaga no curso de licenciatura em história, disse que escrever o texto argumentativo-dissertativo não foi difícil para quem se preparou. “Foi um tema muito trabalhado em sala de aula e que estava nos noticiários e na internet”. Os estudantes que fizeram o Enem nesse fim de semana terão acesso às notas no dia 19 de janeiro de 2017. Saberão quanto tiraram em cada uma das quatro provas objetivas (ciências humanas, da natureza, linguagens e matemática) e na redação. O gabarito oficial será divulgado na quarta-feira no www.inep.gov.br. As notas poderão ser usadas para ingressar no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), concorrer a bolsas em instituições privadas pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

MOVIMENTAÇÃO

Menos de cinco minutos depois que os portões da Universidade Católica de Pernambuco fecharam, ontem, a estudante Bianca Nascimento, 22 anos, chegou ao local. Ela contou que esperou uma hora na parada do ônibus, o que teria sido determinante para o atraso. Bianca mora no Vasco da Gama, no Recife, e disse ter saído de casa por volta das 10h30, mesmo horário de ontem. “No sábado cheguei por volta das 11h30, mas hoje (ontem) o ônibus Guabiraba/Córrego do Jenipapo demorou. Infelizmente não deu tempo”.

No caminho até a entrada dos blocos da Unicap, um grupo montou uma tenda na Rua do Lazer para oferecer orações aos estudantes. Religiosos da Igreja em Recife, no Pina, fazem essa ação há quatro anos. “Estamos aqui para trazer paz e tranquilidade às pessoas que irão fazer a prova”, destacou Rogério Paiva, um dos líderes da igreja.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.