• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Ganhe o Mundo Uma guinada nas salas de aula de Pernambuco Em sete anos, Pernambuco deixou de ser um dos piores em taxa de abandono escolar para ocupar a primeira posição entre os melhores

Por: Anamaria Nascimento

Publicado em: 28/06/2015 15:34 Atualizado em: 09/07/2015 22:31

Mais estimulados devido a estratégias implementadas pelo governo estadual, estudantes abandonam cada vez menos o colégio. Foto: Guilherme Verissimo/Esp DP/DA Press.
Mais estimulados devido a estratégias implementadas pelo governo estadual, estudantes abandonam cada vez menos o colégio. Foto: Guilherme Verissimo/Esp DP/DA Press.

Além de oferecer a chance de estudar no exterior, o programa Ganhe o Mundo estimula os estudantes da rede estadual de ensino a continuar estudando. A possibilidade de fazer um intercâmbio foi apontada como uma das razões para Pernambuco apresentar o melhor índice de permanência escolar. Pelo segundo ano consecutivo, a menor taxa de abandono escolar do país foi registrada no ensino médio da rede estadual de Pernambuco.
No estado, apenas 3,5% dos estudantes matriculados em 2014 não concluíram o ano letivo, de acordo com dados anuais do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do Ministério da Educação (MEC), sobre o ensino médio nas escolas estaduais. A taxa coloca Pernambuco, único do Nordeste a aparecer entre os dez melhores desempenhos do país, à frente de estados como São Paulo (segundo lugar, com 5%), Goiás (6,9%), Distrito Federal (7,1%) e Rio de Janeiro (7,2%).

O estado foi ainda o que conseguiu a maior redução da taxa em um ano. Em 2013, Pernambuco também tinha o menor percentual, com 5,2%, ou seja, a queda foi de 32,7%. No ano passado, a taxa média de abandono do Nordeste foi de 10,4%.
No Brasil, a média foi de 8,7%. “As questões sociais do Nordeste são muito fortes, portanto, nosso desafio é ainda maior. Ter uma taxa menor que a dos estados do Sudeste é motivo de comemoração por conta do contexto da nossa região”, pontuou o secretário Estadual de Educação, Frederico Amâncio.

O estímulo do estudo de outros idiomas com a opção de intercâmbio pelo Ganhe o Mundo, os investimentos em escolas de tempo integral, a implementação de novas práticas pedagógicas - como o uso de tablets para tornar as aulas mais atrativas - e o empenho de professores e gestores são apontados pelo secretário como os ingredientes da receita de sucesso. “Esse é o resultado de um conjunto de estratégias. Além das políticas públicas, há ainda o esforço dos professores e diretores no cotidiano escolar”, destacou Amâncio.

Em 2007, Pernambuco apresentava uma das piores taxas de abandono escolar do Brasil em ensino médio. A cada 100 estudantes matriculados, 24 deixavam a sala de aula antes de concluir o ano letivo, o que colocava o estado em 26º lugar no país. Em sete anos, Pernambuco saltou de penúltimo para primeiro lugar.
“Nosso objetivo é diminuir ainda mais essa taxa e sabemos que ainda há muito o que fazer, mas é bom saber que estamos no caminho certo e avançando”, afirmou o secretário de Educação.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.