• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Sonhos Preparando a segunda filha para ganhar o mundo Mãe solteira, autônoma Tânia Lúcia valorizou a educação para os filhos, que aprenderam que assim é a chance de mudar de vida

Por: Anamaria Nascimento

Publicado em: 28/06/2015 12:43 Atualizado em:

O apoio materno e a manutenção de um bom ambiente familiar como extensão da escola foram as estratégias usadas pela autônoma Tânia Lúcia Barbosa, 44, para estimular os filhos a estudarem. Mesmo sem poder pagar uma escola privada ou custear um intercâmbio para Thaís, 24; Vitória, 19, e Amisterdam, 16, ela sabia que podia colaborar de outras maneiras: participando das reuniões da escola, checando os cadernos diariamente, conversando sobre o cotidiano da escola e impedindo que eles faltassem às aulas.

Mãe solteira, coube a ela toda a responsabilidade de educar os filhos. A recompensa pelo esforço veio com as boas notas dos filhos. Em 2012, após passar numa seleção do Programa Ganhe o Mundo, a filha do meio viajou aos Estados Unidos para fazer intercâmbio na cidade de Phoenix, no Arizona. “Eu jamais poderia pagar algo assim para eles, e Vitória conseguiu. Na época de Thaís não existia o programa, mas Amisterdam já está se preparando para concorrer a uma vaga também. Quando ela disse que ia morar um tempo fora foi como um sonho se realizando. No começo, não consegui acreditar, mas, agora, vejo que foi um presente de Deus e sou muito grata a todos que fazem o Ganhe o Mundo.”

Durante o intercâmbio da filha, a mãe amenizava a saudade conversando com ela pela internet. “No começo eu senti muito medo porque cai de uma escada pouco tempo antes de ela embarcar. Por conta do acidente, fiquei de cama por alguns dias e sofria pensando nela. Depois, relaxei e vi que ela estava vivendo a melhor experiência da vida. A gente se falava diariamente pela internet, o que me fez aguentar até o retorno”, recorda. “Agora estou pronta para viver tudo de novo. Espero que meu filho, que também é estudioso e esforçado, consiga vivenciar o que a irmã pôde experimentar no intercâmbio”, completa.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.