Atentado Polícia investiga motivação de ataque em Amsterdã que feriu americanos Cordão de isolamento do lado de fora da estação central de trens de Amsterdã em 31 de agosto de 2018

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 01/09/2018 15:26 Atualizado em: 01/09/2018 15:29

FOTO: ANP/AFP / Remko de Waal (FOTO: ANP/AFP / Remko de Waal)
FOTO: ANP/AFP / Remko de Waal
A polícia holandesa investiga se o ataque com faca de sexta-feira na estação de trem de Amsterdã, que feriu dois americanos, foi um ato terrorista. O embaixador dos Estados Unidos na Holanda informou neste sábado que as duas pessoas gravemente feridas no ataque são americanas.

"As duas vítimas são cidadãos americanos e estamos em contato com eles e suas famílias", afirmou Pete Hoekstra. Um homem agrediu com uma faca na sexta-feira duas pessoas na estação central de trens de Amsterdã. O criminoso foi ferido a tiros e levado para um hospital, onde está sob vigilância policial.

O homem apontado como o agressor foi identificado como um afegão de 19 anos, com visto de residência alemão.

"Estamos contemplando seriamente a hipótese de ataque terrorista", afirmou o porta-voz da polícia de Amsterdã, Frans Zuiderhoek.

"Parece que o homem tinha uma motivação terrorista", afirmou o governo municipal em um comunicado.

O agente Rob van der Veen declarou neste sábado que "a investigação policial aponta para várias direções e contemplamos todas as pistas". De acordo com Zuiderhoek, o agressor não conhecia as identidades das vítimas, que foram escolhidas de modo aleatório.

O autor do ataque está sendo investigado e a polícia holandesa mantém contato com as autoridades da Alemanha para obter mais informações. O embaixador dos Estados Unidos informou que um dos americanos feridos é um homem jovem, mas não revelou mais detalhes.

Testemunhas do ataque descreveram momentos de pânico na principal estação de trens de Amsterdã, pela qual passam 250.000 pessoas a cada dia.

A Holanda praticamente não registrou ataques extremistas nos últimos anos, ao contrário de outros países europeus, como França, Reino Unido, Bélgica, Alemanha ou Espanha. Mas as autoridades afirmam que o nível de ameaça é elevado.

O ataque com faca de sexta-feira aconteceu um dia depois do líder de extrema-direita Geert Wilders ter anunciado o cancelamento de um concurso de caricaturas de Maomé, que estava previsto para as próximas semanas e que havia provocado a indignação da parte da comunidade muçulmana.

A polícia holandesa não comentou sobre um eventual vínculo entre o ataque e o concurso de charges.

A Europa registrou vários ataques com arma branca nos últimos meses, o mais recente deles em 23 de agosto em Trappes, ao oeste de Paris. Um homem de 36 anos matou a mãe e a irmã a facadas e deixou outra pessoa gravemente ferida.

Embora o grupo Estado Islâmico (EI) tenha reivindicado o ataque, os investigadores franceses priorizam em seu trabalho a motivação vinculada aos problemas psicológicos do agressor.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.