conflito Coalizão no Iraque e na Síria admite morte de 1.061 civis em ataques De acordo com a nota divulgada, 'a coalizão realizou um total de 29.920 incursões entre agosto de 2014 e julho de 2018'

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 30/08/2018 12:25 Atualizado em:

A coalizão internacional antiextremista liderada pelos Estados Unidos na Síria e no Iraque reconheceu, nesta quinta-feira (30), a morte de 1.061 civis durante ataques aéreos desde o início da operação "Inherent Resolve", em 2014, até julho passado.

De acordo com a nota divulgada, "a coalizão realizou um total de 29.920 incursões entre agosto de 2014 e julho de 2018".

"Durante este período, segundo a informação disponível, (a coalizão) estima que pelo menos 1.061 civis foram assassinados involuntariamente pelos ataques da coalizão", completa o comunicado.

Ainda segundo a coalizão, foi concluída em julho a análise de 18 informes de possíveis vítimas civis, dos quais 15 não foram considerados verdadeiros.

Foram considerados pertinentes três informes sobre ataques a bomba contra alvos no Iraque e na Síria entre 4 de janeiro de 2017 e 13 de junho de 2018, que deixaram dois mortos e um ferido.

No final de julho, 216 informes seguiam sob revisão.

A ONG Airwars, que enumera as vítimas civis de todos os bombardeios aéreos no mundo, estima que pelo menos 6.575 civis foram assassinados pela coalizão, número que supera amplamente o que foi divulgado nesta quinta.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.