ELEIÇÕES 2018 Marca eleitoral de Lula segue em disputa Presença constante no guia de Paulo Câmara, imagem do petista surgiu estampada em evento de Armando

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/09/2018 08:02 Atualizado em:

Armando com petistas dissidentes da Frente Popular. Foto: Leo Caldas/Divulgação
Armando com petistas dissidentes da Frente Popular. Foto: Leo Caldas/Divulgação
O banner com letras brancas em fundo vermelho e uma foto de Lula indicava que ali, no Salão Boa Vista do Recife Praia Hotel, o ex-presidente, mesmo preso em Curitiba, era uma das razões da aliança selada entre lideranças do PT, contrárias ao acordo do partido com o PSB, e o senador Armando Monteiro (PTB), candidato ao governo do estado. Talvez a força eleitoral de Lula fosse até a principal das razões. Tanto que o ex-presidente teve as gestões exaltadas por Luciano Duque (PT), prefeito de Serra Talhada, e pelo petebista. E os postulantes ao Senado na chapa de Armando, Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB), oposição aos governos petistas, não colocaram o pé no evento. 

A síntese do ato estava na frase do banner: “Sou Lula, voto Armando”. A frase guiou parte da fala de Duque. O petista acusou o PSB de jogar uma cortina de fumaça no debate eleitoral ao colocar que o PT está oficialmente no palanque socialista. Isso, segundo o prefeito, com o objetivo de se apropriar da marca de Lula. “Dizem hoje que estão a favor de Lula livre, quando nunca levantaram a bandeira de Lula”, falou. Entre os petistas presentes ao ato no Pina estavam a prefeita de Calumbi, Sandra Magalhães, e o vice-prefeito de Cabrobó, Pedro Caldas, além de ex-prefeitos e vereadores de municípios sertanejos.

Armando Monteiro reforçou o clima do ato em torno de Lula. O senador lembrou sua ida recente ao Paraná para visitar o ex-presidente, preso em Curitiba. Recordou da convivência com o petista, quando o convidou para um encontro com empresários na CNI. “Não manifestamos a posição de apoio ao presidente Lula por esperteza, por aconselhamento de marqueteiro”, afirmou.

Se sobraram elogios a Lula, foram fartas as críticas ao governo de Paulo Câmara, candidato à reeleição. Duque frisou o apoio quase unânime da bancada do PSB ao impeachment de Dilma. Embora tenha optado pelo palanque de Armando, o prefeito de Serra Talhada disse que votará em Humberto Costa (PT) para o Senado. 

Armando revelou a pressão recebida do meio empresarial para votar pela cassação da presidente. Em síntese, discursos precisos para um espaço onde predominavam defensores de Lula e onde adesivos, reproduzindo o banner, estavam sobre cada uma das 200 cadeiras do Salão Boa Vista. Junto a este adesivo, outro pedia “Fora Paulo”.

Em nota, a Comissão Executiva Estadual do PT informou que abrirá um processo para investigar uma “grave indisciplina estatutária e política, caracterizadora de infidelidade partidária” cometida por Duque.
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.