Campanha No Recife, Amôedo alfineta Bolsonaro: 'ele tem o discurso liberal, nós temos a prática' Candidato à Presidência pelo Partido NOVO está na capital pernambucana para cumprir agenda de campanha

Por: Marcela Cintra - Diario de Pernambuco

Publicado em: 30/08/2018 17:55 Atualizado em: 30/08/2018 18:32

Foto: Tiago Calazans/Divulgação
Foto: Tiago Calazans/Divulgação
O candidato à Presidência pelo NOVO, João Amoêdo, cumpre agenda de campanha no Recife nesta quinta-feira. No comitê, realizado durante a tarde no Pina, Zona Sul da cidade, o postulante concedeu entrevista coletiva na qual reforçou a posição liberal, afirmando que o partido tem práticas liberais, não apenas discurso.

Na ocasião, também aproveitou para endossar seu posicionamento a favor da liberação das armas no País. "A questão das armas é um legítimo direito do cidadão. O cidadão que fizer mal uso tem que ser criminalizado, é um dos princípios do Novo: liberdade com responsabilidade". No tocante à descriminalização das drogas, no entanto, tal princípio não se aplica, uma vez que o candidato declarou posição contrária à medida, afirmando que as experiências obtidas em países que liberaram o consumo - seja recreativo ou medicinal - ainda não alcançaram resultados conclusivos positivos. Ele também afirmou que esta não seria uma questão prioritária caso fosse eleito: "Nesse primeiro momento, nós temos inúmeros problemas pra resolver no Brasil: equilibrar as contas, retomar o emprego, melhorar a nossa educação, melhorar a saúde, e entendemos que a gente não deveria trazer uma nova variável para esse processo que é descriminalizar as drogas", afirmou.
 
Amôedo também reafirmou que sua campanha tem recebido ataques de militantes de Bolsonaro pelas redes sociais: "[eles estão] fazendo dossiês mentirosos sobre o passado, sobre como obtive patrimônio. Inclusive, pegando o Twitter, por exemplo, e fazendo montagens com declarações contrárias ao que eu disse, dizendo que eu sou a favor do estatuto do desarmamento, coisas desse tipo, para tentar buscar uma diferenciação do candidato deles". Em relação ao enfrentamento destes ataques, João Amoêdo declarou que será feito com coerência e transparência, "sem entrar nesse tipo de briga e não gastando nosso tempo para confrontar coisas que não têm o menor sentido". Ainda sobre Bolsonaro, quando questionado sobre a semelhança das propostas entre os dois candidatos, declarou: "Bolsonaro tem o discurso liberal, nós temos a prática", arrancando aplausos dos apoiadores. "A prática é exatamente essa: a gente não usa dinheiro público, não usa dinheiro de fundo partidário, a gente quando vai para o poder, corta assessores", disse o candidato ressaltando que o NOVO elegeu, em 2016, quatro assessores, os primeiros do partido. "Os quatro cortaram 39 assessores. Vão economizar ao longo de suas campanhas R milhões".

Outro ponto abordado foi a privatização da Eletrobras, medida que Amoêdo também se posicionou a favor. "Eu sou favorável à privatização, exatamente com o modelo que foi colocado aí. Vai ser fundamental para conseguir investir. A gente não está conseguindo investir mais no fornecimento de energia", afirmou o candidato. O fundador do NOVO destacou três motivos que, em sua avaliação, fazem com que o projeto que foi desenhado seja interessante: "Primeiro, o sócio maior teria no máximo 10% do controle da Eletrobras". Em seguida, destacou que, neste modelo, "o Governo vai indicar o presidente do conselho de administração e vai ter um ação de destaque, onde ele pode vetar algumas coisas que são contrárias ao interesse nacional. O governo continua tendo um certo poder". Em relação às comunidades ribeirinhas do Rio São Francisco, Amoêdo destacou que há uma constante grande de recursos que vão ser "destinados a atendê-las".

Ainda no Recife, o candidato segue para o Clube Português, no bairro das Graças, onde participa, às 19h, de lançamento de candidaturas de aliados a deputado federal. A sigla conta com 10 concorrentes à Câmara Federal - não há postulantes a uma vaga na Assembleia Legislativa. Posteriormente, haverá um encontro com um grupo de empresários pernambucanos. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.