Eleições Em debate, Armando acusa gestão de Paulo Câmara pelo aumento da violência no estado Em crítica a atual gestão, ele afirmou que o governo perdeu a autoridade. 'Se fechou no Palácio e deixou que a criminalidade assumisse as ruas, estradas e até as áreas rurais'

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 28/08/2018 22:10 Atualizado em: 28/08/2018 22:11

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Durante o debate entre os candidatos ao governo do estado, promovido por uma rádio local, nesta terça-feira (28), Armando Monteiro (PDT) defendeu propostas e garantiu que caso ele seja eleito "o crime não terá vida fácil". 

O candidato falou ainda sobre a necessidade de unir a sociedade em torno da reconstrução do estado, que, segundo ele, nos últimos anos perdeu competitividade e enfrentou indicadores alarmantes de violência e desemprego.

Após o primeiro confronto entre os candidatos, Armando disse que “os bandidos não terão mais vida fácil, como têm hoje. Vamos recuperar a autoridade do governo nas ruas, levar paz e tranquilidade para a população”. Em crítica a atual gestão, ele afirmou que o governo perdeu a autoridade. "Se fechou no Palácio e deixou que a criminalidade assumisse as ruas, estradas e até as áreas rurais”, alfinetou o pedetista. 

O primeiro tema do debate foi Educação. Logo depois, foi a vez da violência ser debatida pelos concorrentes ao governo.  No terceiro Bloco, Armando questionou Paulo Câmara (PSB) sobre o fato do adversário ter declarado arrependimento sobre a posição que tomou no impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT). “Você também se arrepende de ter votado em Aécio e ter impedido Marília Arraes de ser candidata e estar aqui conosco hoje?”, indagou Armando.

Nas considerações finais, Armando defendeu o debate honesto nesta campanha e deixou uma mensagem de esperança no futuro. “Não vamos falsear, mentir e fazer falsas promessas. O que tem faltado a Pernambuco é governo". Além de Armando, participaram Paulo Câmara (PSB), Dani Portela (PSOL) e Maurício Rands (PROS).


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.