Cinema Festival Cine PE quase 80% mais concorrido em 2019 Esse foi o percentual de crescimento no número de filmes inscritos para a edição deste ano em relação a 2018

Por: Caio Ponciano - Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/03/2019 10:00 Atualizado em: 13/03/2019 11:40

Foto: Lana Pinho/Divulgação.
Foto: Lana Pinho/Divulgação.
A 23ª edição do Cine PE - Festival Audiovisual divulgou, nesta terça-feira (12), o número de inscrições de curtas e longas-metragens para as mostras competitivas deste ano. O evento, que será realizado entre os dias 28 de maio e 3 de junho no Cinema São Luiz, no Centro do Recife, recebeu 892 inscrições. Isso representa um crescimento de 77,33% em relação aos inscritos do ano passado, que foi de 503 filmes. Recortando para as produções pernambucanas, o aumento foi ainda mais significativo. Se em 2018 foram 39 inscritos, nesta edição serão 86 produções pleiteando uma vaga nas mostras competitivas, resultando em um aumento de 120%. 

“Mesmo com poucas janelas de exibição, temos o crescimento dessas obras e o reconhecimento do nosso festival, que é bastante criterioso e respeita os curtas-metragens, que estão na mesma sala de exibição dos longas. A soma de tudo isso fez com que a gente tivesse esse grande número de inscrições”, avalia a diretora do Cine PE, Sandra Bertini. Com esse crescimento, sobretudo dos curtas-metragens, Sandra afirma que a curadoria deverá ser mais minuciosa. “Queríamos exibir muito mais filmes do que podemos, mas não tem como. A gente tem que fazer uma peneira com muito rigor para ter os melhores dentro do nosso festival e também filmes que o público que frequenta o Cine PE gostará de assistir.”

A região Sudeste lidera com 513 produções inscritas. Dessas, 246 são de São Paulo, o estado recordista. Em seguida, o Nordeste representa 205 filmes, seguido por Centro-Oeste (82), Sul (77) e Norte (15). As obras são separadas por categorias. Durante os quase quatro meses de inscrições, o Cine PE recebeu 748 produções de curtas-metragens, sendo 230 documentários, 490 filmes de ficção e 28 de animação. Já os longas-metragens correspondem a números menores. Foram 144 obras, sendo 88 documentários, 54 de ficções e apenas dois representantes de animação. 

No dia 3 de junho, haverá o encerramento do festival e a premiação. Além do troféu Calunga de Ouro, os premiados ganham serviços oferecidos por empresas na área da sétima arte, que ainda estão em negociação com a produção do evento. Diferente dos 22 anos anteriores, o Cine PE não será apresentado pela jornalista Graça Araújo, falecida em setembro de 2018, em decorrência de um AVC. “Ela foi uma grande incentivadora e será uma das homenageadas deste ano, por seu espírito de equipe e pela dedicação dos anos em que esteve conosco”, diz Sandra. Segundo a diretora, o substituto ainda não foi escolhido. O Cine PE terá também lançamentos, exibição de filmes de fora da disputa, debates e workshops.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.