Ancestralidade Afoxé Oyá Tokolê Owo realiza tradicional cortejo no Recife nesta quinta O grupo nasceu em 2004 com o nome Oyá Alaxé e traz em sua essência a resistência dos terreiros de candomblé Nagô

Por: Samuel Calado - Redes Sociais

Publicado em: 27/02/2019 22:45 Atualizado em: 27/02/2019 23:04

O grupo completa 15 anos de tradição e resistência negra. Foto: Reprodução/Facebook
O grupo completa 15 anos de tradição e resistência negra. Foto: Reprodução/Facebook

Na noite desta quinta-feira (28), as ruas do bairro do Recife serão coloridas com as cores rosa e branco, do Afoxé Oyá Tokolê Owo, um dos mais tradicionais de Pernambuco. O grupo está celebrando 15 anos de existência e fará mais um cortejo especial saindo do Pátio de São Pedro, no bairro de São José, até a Praça do Marco Zero, no Recife Antigo. A concentração será às 20h. 

Basta tocar a canção “Oyá ô mulher forte, poderosa e sagrada, dona de tanta beleza, rainha obstinada. Minha Mãe meu Orixá, és dona da minha vida. É tão linda a minha Oyá. Me protege mãe querida”, que os amantes da cultura e religiosidade africana já sabem qual é o grupo que está se apresentando. É o Oyá Tokolê, que nasceu em 2004 com o nome Oyá Alaxé. Sua essência traz a força e a resistência dos terreiros de candomblé Nagô. A sede do grupo é o terreiro  Ilê Obá Aganjú Okoloyá, que está localizada no bairro de Dois Unidos, na Zona Norte do Recife e tem mais de 70 anos de história, sendo até reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Cultural dos Povos e Comunidades. 

Apresentação do Afoxé no carnaval. Foto: Reprodução/Facebook
Apresentação do Afoxé no carnaval. Foto: Reprodução/Facebook

Neste carnaval, os afoxezeiros do Oyá Tokolê Owo estão trazendo o tema Titi Ayê Oyá Ô, que significa "Para sempre seja Oyá", em homenagem ao orixá patrono do grupo. A divindade tem ligação direta com os ventos e as tempestades e sua saudação é Eparrey! Os filhos desse orixá são guerreiros e não temem à luta. O afoxé absorve essa força e desempenha um trabalho notório de articulação com efetiva com outros grupos de cultura negra na Região Metropolitana do Recife. Ele foi o primeiro afoxé a abrir o carnaval da capital pernambucana, no ano de 2011. 

Maria Helena Sampaio, Yalorixá e vocalista do grupo. Foto: Reprodução/Facebook
Maria Helena Sampaio, Yalorixá e vocalista do grupo. Foto: Reprodução/Facebook

Na noite desta quinta, cerca de 250 integrantes irão desfilar entoando cânticos em saudação aos orixás. A Yalorixá Maria Helena Sampaio, dona de uma voz estridente e inconfundível fala sobre a importância de um evento como este.  "Para mim e meu povo, manter essa tradição é maravilhoso. Mesmo diante das dificuldades e da intolerância religiosa que a gente sofre no cotidiano. Esse evento é mais uma afirmação do povo negro. Não é fácil colocar uma entidade na rua e nós resistimos e existimos para combater as discriminações. Os orixás estão conosco e nós estamos aqui por eles. Faremos um lindo desfile no carnaval”, ressalta a cantora. 

O cortejo terá início às 21h e sairá da Rua de São Pedro até a Avenida Dantas Barreto. Em seguida, seguirá pelas avenidas Nossa Senhora do Carmo e Martins de Barros, até a ponte Buarque de Macedo. Após fazer a travessia ao som do ijexá, o grupo segue pela Avenida Rio Branco até a Praça do Marco Zero, no Recife Antigo.
 
 
Confira o vídeo do grupo  
 
 
 
Serviço 
Cortejo do Afoxé Oyá Tokolê Owô 
Quando: 28 de fevereiro 
Horário: 20h 
Local: Pátio de São Pedro 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.