Música Novo EP de Claudio N aposta na mistura de estilos e referências musicais O músico baiano e radicado em Pernambuco lançou o EP Levei um Xêxo e Noiei

Por: Caio Ponciano - Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/02/2019 17:01 Atualizado em: 04/02/2019 15:38


"Mudanças de cidade na infância... De Paulo Afonso eu me despedi", canta o músico baiano e radicado em Pernambuco Claudio N, na faixa Mudanças, do EP Levei um xêxo e noiei, recém-lançado nas plataformas de streaming. Embora Claudio tenha se mudado para o Recife aos 9 anos, porque os pais foram transferidos de emprego, a letra, composta pelo artista em parceria com Carlos Montenegro e Pierre Leite, conta a história de um personagem criado por ele para fazer a ponte entre Paulo Afonso e a capital pernambucana. Além dessa canção, o primeiro EP de uma trilogia ainda apresenta as músicas Bom demais e Levei um xêxo e noiei, que dá nome ao trabalho arranjado por Mateus Alves e Montenegro.

Neste primeiro, as canções evidenciam a guinada pop do artista, harmonizando suavemente a dança e o romance. Do psicodelismo interestelar ao bolero, passando pelo axé, até chegar na música holística, o projeto de Claudio N e os músicos da “turma do deixa disso” aposta na mistura de estilos e referências musicais e no senso de humor presente em toda a série. "Por eu ser eclético, procuro expor um pouco de cada referência em uma música. Por isso, o material desses EPs é tão diversificado em gêneros", aponta o músico, que se inspira em nomes como Pink Floyd, Os Mutantes, Ween, Black Sabbath e Tim Maia. 

Apesar da grande quantidade de referências, Claudio acredita que elas ficam nos seus "quadrados" de gênero, não havendo muita fusão dos estilos. A diversidade nas canções vai além do ecletismo do baiano. As músicas dos EPs foram compostas entre 2003 e 2017, o que explica a mudança na identificação musical dele, ao longo dos 14 anos de carreira. "Quando as letras foram compostas, eu já tinha definido as referências de gênero para cada uma delas. A partir daí, graças ao incentivo do Funcultura e ao apuro técnico de Carlos Montenegro, elas tomaram uma forma mais consistente durante a produção definitiva", conta, ao Viver. 

O músico revela ainda que o processo de composição de suas músicas, feito em dupla com Montenegro, foi o mais descontraído possível, em meio a drinks e cigarros. "Geralmente, as linhas das letras que ficam são as que causam mais risadas com as parcerias enquanto vão sendo feitas". O segundo EP será lançado neste mês e o terceiro entre março e abril. A ideia do artista é lançar essas músicas em um álbum e em vinil, posteriormente.

HISTÓRIA
Claudio Guedes do Nascimento Júnior, 37 anos, nasceu em Paulo Afonso (Bahia), perto da divisa entre Pernambuco, Alagoas e Sergipe, e se mudou para o Recife em 1991. Na juventude, fez intercâmbio nos Estados Unidos e, logo depois, formou-se no curso de Rádio e TV pela Universidade Federal de Pernambuco. Ele já lançou dois discos com a banda Chambaril, que está em hiato, e quatro álbuns com o projeto Familiar, feito de música instrumental com colagens de samples. Participou da trilha sonora de filmes como O som ao redor, de Kleber Mendonça Filho, Viajo porque preciso, volto porque te amo, de Karim Anouz, e Amigos de risco, de Daniel Bandeira, e apresentou um programa diário na extinta rádio Oi FM Recife. Atualmente, Claudio se divide entre a música e a locução de peças publicitárias.

Ouça o EP:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.