Artes plásticas Joana Lira promove rodada de conversa no Centro Cultural Cais do Sertão A atividade faz parte da Exposição Quando a Vida É Uma Euforia, em cartaz no equipamento cultural até 17 de março

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 31/01/2019 19:23 Atualizado em:

Foto: Paulo Fridman e Everton Ballardin/Divulgação
Foto: Paulo Fridman e Everton Ballardin/Divulgação

A exposição Quando a vida é uma euforia, que está em cartaz no Caís do Sertão desde 15 de janeiro, faz compilado de obras idealizadas pela gráfica pernambucana Joana Lira para o carnaval do Recife. No final de semana, a mostra receberá mais uma programação especial. Neste sábado (1º), a artista recebe o público a partir das 15h, na Sala São Francisco, para fazer uma rodada de conversas sobre sua obra.

O bate papo será realizado de maneira informal, onde o público terá a oportunidade de conhecer sua trajetória, desde o início de sua carreira até o momento atual. "Vou contar um pouco da minha história e relação com o projeto, desde o início até minha saída, falando um pouco sobre meus aprendizados, processo criativo e até os segredos dos bastidores. Quero fazer do encontro um momento de troca e descontração com o público", informou Joana, em comunicado enviado à imprensa. 

Quando a vida é uma euforia segue até o dia 17 de março e conta com a curadoria da paulista Mamé Shimabukuro. A exibição já passou pelo Instituto Tomie Ohtake em São Paulo, revitalizando a maneira de olhar para o legado das raízes culturais. 

ACESSIBILIDADE
A mostra também preparou um roteiro que abraça a inclusão e atende surdos e cegos. Desde o momento da abertura, às 9h, até seu encerramento, às 17h, a o local conta com a presença de duas interpretes de libras e libras tátil, para atender ao público surdo, cego e surdocego. O roteiro tem início no vão do Centro Cultural Cais do Sertão, o Espaço Umbuzeiro, e segue para a Sala São Francisco, no segundo andar, sempre com a companhia de uma das mediadoras.

Todos os núcleos possuem uma identidade individual sonora que caracteriza e distingue um núcleo do outro, além de textos de apresentação que estão em fundo preto com o título dourado e letras brancas. Além da precisa audiodescrição feita por uma das mediadoras e do contraste sonoro que cada núcleo carrega, os recursos auditivos são evidenciados em todas as etapas da exposição. O local conta com fones de ouvido espalhados por toda a exposição, reproduzindo depoimentos de Joana Lira, Ariano Suassuna, Abelardo da Hora, Cícero Dias, Tereza da Costa Rego, Lula Cardoso Aires e Vicente do Rego Monteiro sobre a obra da artista. 

SERVIÇO
Rodada de conversa com a artista Joana Lira, da exposição Quando a vida é uma euforia
Onde: Sala São Francisco do Caís do Sertão (Armazen 10, Avenida Alfredo Lisboa, s/n, Recife Antigo)
Quando: sábado (1º), a partir das 15h
Quanto: Gratuito 

Visitação: de 15 de janeiro a 17 de março de 2019
Terça a sexta - 9h às 17h
Sábado e domingo - 13h às 17h


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.