Carnaval Em momento histórico, Homem da Meia-Noite subirá o Morro da Conceição para receber a roupa e celebrar o 87º aniversário A concentração está marcada para as 16 horas, no Largo Dom Luiz, já o cortejo começa as 17h

Por: Samuel Calado - Redes Sociais

Publicado em: 29/01/2019 22:37 Atualizado em: 29/01/2019 23:31

Este ano, o calunga está homenageando a resistência das periferias com o tema "A voz do Morro". Foto: WhatsApp/Cortesia
Este ano, o calunga está homenageando a resistência das periferias com o tema "A voz do Morro". Foto: WhatsApp/Cortesia

Em um momento inédito na história de Pernambuco, o Homem da Meia-Noite subirá o Morro da Conceição, na Zona Norte do Recife, para celebrar o 87º aniversário junto aos moradores da comunidade e foliões apaixonados. A festividade será na tarde deste sábado (02), e contará com a presença dos artistas Lia de Itamaracá, Lucas dos Prazeres e do grupo Patusco, homenageados pelo calunga no carnaval de 2019. O tema deste ano é “A voz do Morro”, que fala sobre a força das periferias.  No evento, haverá também a entrega da roupa do gigante, que foi produzida pelas pelas estilistas Rafaela Cristina, Jéssica Silva e Maria Alice. Mas as pessoas só vão ver a indumentária no dia do tradicional desfile, entre a madrugada do sábado de Zé Pereira e o domingo de carnaval. 

Neste sábado o gigante celebra 87 anos de história. Foto: Camila Pifano/Esp.DP
Neste sábado o gigante celebra 87 anos de história. Foto: Camila Pifano/Esp.DP

O calunga foi criado no dia 2 de fevereiro de 1931. Ele abre as festividades de momo em Olinda com um grandioso cortejo pelas ladeiras, carregando a chave da festa e entregando ao Cariri. O percurso é marcado por grandes emoções no Sítio Histórico de Olinda, arrastando uma multidão de brincantes com muito frevo no pé. A história do gigante é envolve vários mistérios. Uma versão diz que o fundador Luciano Anacleto, apaixonado pelo cinema decidiu criar o boneco para homenagear o filme O ladrão da Meia-Noite. Já a segunda história conta que o músico Benedito Bernardino da Silva - que criou a música oficial do calunga e o primeiro boneco -  ao ver constantemente um homem elegante, com dente de ouro e vestido de verde e branco na madrugada do domingo, decidiu segui-lo e percebeu que ele pulava as janelas das casas do Sítio Histórico para namorar com as senhoritas na madrugada. Qual dessas histórias é a verdadeira? Se perguntar ao olindense, ele dirá: as duas. Quando se trata do Homem da Meia-Noite, tudo pode ser tudo e nada se faz sem mistério. 

A cantora Lia de Itamaracá é uma das homenageadas deste ano. Foto: Camila Pifano/Esp.DP
A cantora Lia de Itamaracá é uma das homenageadas deste ano. Foto: Camila Pifano/Esp.DP

Dando continuidade aos encantamentos e misticismos, o gigante nasceu no mesmo dia em que se comemora a divindade africana Iemanjá, por isso, tem bastante ligação com a religiosidade negra e levanta a bandeira do respeito as várias faces da fé. No sincretismo, onde os africanos escravizados atribuiam a imagem católica às do candomblé para não deixar morrer as raízes da terra origem, Iemanjá era cultuada no mesmo dia de Nossa Senhora da Conceição. Neste sábado, os foliões pernambucanos se juntarão aos do morro para celebrar em um cântico só a chegada de mais uma primavera e o respeito às expressividades de crença e amor.  

As estilistas Maria Alice, Jéssica Silva e Rafaela Cristina irão entregar a roupa do calunga no evento. Foto: Camila Pifano/Esp.DP
As estilistas Maria Alice, Jéssica Silva e Rafaela Cristina irão entregar a roupa do calunga no evento. Foto: Camila Pifano/Esp.DP

Na ocasião, haverá também a entrega da roupa do gigante, que foi produzida pelas mãos de três mulheres empoderadas olindenses. Vamos conhecer cada uma delas? Rafaela Cristina, de 31 anos, nasceu e cresceu na comunidade do Monte. Hoje ela é empresária, idealizadora da marca autoral olindense “Rafa Q Faz” e responsável também pela grife do bloco. A segunda é a Jéssica Silva, também empresária, dona da grife Zarina, que produz roupas com identidade africana. Ela nasceu na comunidade do Xambá e também é bailarina. A terceira se chama Maria Alice, 23 e nasceu na mesma localidade que Rafa. Ela é formada em Design de Moda e tem um atelier com o seu nome. Todas elas possuem uma história de militância e resistência gigante e conhecem de perto a realidade das periferias. Saberão com excelência transpassar esta vivência de voz e vida dos morros na indumentária do calunga. 

Luiz Adolpho, presidente do Homem da Meia-Noite. Foto: Bruna Costa/Esp DP FOTO
Luiz Adolpho, presidente do Homem da Meia-Noite. Foto: Bruna Costa/Esp DP FOTO

"Será um momento muito especial pois após 87 anos de história, o calunga irá subir o Morro carregado de sentimentos", conta o presidente Luiz Adolpho. "Não teria um lugar mais especial especial para ele subir como o morro, que representa a voz de uma multidão. É um lugar onde já passaram milhares de pessoas em busca de um conforto, de uma graça, de paz e de amor. Temos a certeza da recepção calourosa das pessoas pelo gigante", acrescenta.  
 

A concentração está marcada para as 16 horas, no Largo Dom Luiz, já o cortejo começa as 17h. Neste horário, o calunga subirá pela ladeira principal até o Santuário do Morro da Conceição, onde haverá o som da Rural, o corte do bolo e a entrega da roupa de 2019. Além dos homenageados do carnaval deste ano, confirmaram presença no evento os artistas André Rio, Maestro Forró, Cannibal, Zé Brown, Ed Carlos, Rogério Rangel, Boi da Macuca, Minhocão de Olinda, Quadrilha Junina Tradição, Origem Nordestina, Galeria do Ritmo e outros artistas. 
 
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.