entretenimento Mulheres virão com tudo no audiovisual em 2019 O próximo ano será marcado pela maior presença feminina no protagonismo em produções audiovisuais de gêneros majoritariamente masculinos, como os filmes de ação

Por: Adriana Izel - Correio Web

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 18/12/2018 13:30 Atualizado em: 18/12/2018 13:43

Brie Larson do drama com Oscar ao papel de Capitã Marvel. Foto: Divulgação
Brie Larson do drama com Oscar ao papel de Capitã Marvel. Foto: Divulgação

O empoderamento feminino entrou de vez na indústria cinematográfica e televisiva. Pelo menos é isso que a lista de lançamentos de 2019 no cinema e na tevê demonstra. O ano já começa com a estreia da série animada de Carmen Sandiego (com dublagem de Gina Rodriguez, de Jane the virgin) na Netflix, e se encerra com o retorno da jedi Rey (Daisy Ridley) no Episódio 9 de Star wars. Além dessas duas produções, há ainda outras com a mesma característica: são protagonizadas por mulheres fortes e, de certa forma, heroicas, até quando elas não são necessariamente heroínas.

O maior e mais aguardado destaque de 2019 é a estreia de Capitã Marvel nos cinemas, que será em 8 de março. A atriz Brie Larson, que estourou em O quarto de Jack (2015), interpreta a heroína, mencionada pela primeira vez na cena pós créditos de Vingadores: Guerra infinita e deve ter um papel importante na quarta sequência da franquia, que também estreia em 2019. Durante passagem pelo Brasil na Comic Con Experience, em São Paulo, ela falou da importância de protagonizar o primeiro filme solo do Universo Marvel de uma heroína.

Em 2019 Jessica Chastain viverá uma vilã no futuro exemplar da franquia X-Men. Foto: AFP Photo
Em 2019 Jessica Chastain viverá uma vilã no futuro exemplar da franquia X-Men. Foto: AFP Photo


"Me sinto grata por ser a Capitã Marvel. Carol (Danvers) gosta de lutar, mas é cheia de amor e felicidade. Eu não tinha a força que tenho hoje e o filme me fez superar tantos limites. Aquilo que eu achava impossível, como uma pessoa tímida, agora parece possível. Ensinou-me que está tudo bem em ter um pouco de confiança e aprender seu valor. Quero que todas se sintam inspiradas ao sair do cinema. Fiz por vocês! Fiz isso pelas mulheres", afirmou a atriz.

O filme tem como base a história da personagem que foi apresentada nos quadrinhos em 1968, como uma integrante da Força Aérea dos Estados Unidos. Ambientado nos anos 1990, Capitã Marvel acompanha a jornada de Carol Danvers, uma pilota cujo  DNA é fundido com o de um alienígena durante um acidente e a partir daí tem poderes, como força sobre-humana e voo.

Girl Power

A Capitã Marvel não será a única heroína com superpoderes a invadir as telas em 2019. Em 7 de junho, estreia o novo filme da franquia X-Men, dessa vez, tendo a Fênix Negra, vivida pela atriz Sophie Turner, como o centro da história da trama. Na trama, Jean Grey é atingida por uma força cósmica e precisa lidar com a presença de uma entidade maligna dentro de si, a Fênix Negra.

"Esse foi literalmente o papel mais desafiador que eu já fiz em minha carreira", contou a atriz, que ficou famosa por viver Sansa Stark na série Game of thrones, durante a convenção CCXP. Sobre a personagem, ela completou: "Veremos uma Jean bem diferente nesse filme. Ela está plenamente consciente de seus poderes, mas isso não necessariamente lhe trouxe paz de espírito".

Além de Jean Grey, o filme contará com mais mulheres fortes, como a Mística, vivida por Jennifer Lawrence, e a vilã misteriosa, que será interpretada por Jessica Chastain. O empoderamento feminino estará também no discurso da produção. Na cena inédita exibida na convenção geek, Mística aparece questionando Charles Xavier (James McAvoy) e diz: "São as mulheres que sempre salvam os homens nas missões. A equipe deveria se chamar X-Women".

Duas personagens conhecidas dos quadrinhos também devem protagonizar produções próprias em 2019. A Disney anunciou que a Feiticeira Escarlate, vivida por Elizabeth Olsen nos filmes de Os Vingadores, deve ganhar uma série no serviço de streaming Disney+ que será lançado no ano que vem. Porém, ainda não revelou detalhes da trama e nem de previsão do lançamento.

Sophie Turner na pele de Jean Grey no novo filme da franquia X-Men, que estreia em junho de 2019. Foto: Reprodução
Sophie Turner na pele de Jean Grey no novo filme da franquia X-Men, que estreia em junho de 2019. Foto: Reprodução


Outra personagem que vai aparecer na televisão é a Batwoman. A heroína foi apresentada no crossover Elseworlds, da CW, que reuniu os núcleos de The Flash, Arrow e Supergirl. Interpretada por Ruby Rose, a personagem foi inserida no universo dos heróis da DC na tevê e ganhará uma série original, que ainda não tem previsão de lançamento e nem muitas informações. No crossover, a personagem apareceu como uma opção da CW, emissora responsável pelos seriados, de introduzir o universo de Gotham City sem ter que usar o personagem clássico Bruce Wayne.


O que vem por aí!

Aruanas

A série brasileira produzida pela Globoplay conta com quatro protagonistas em um thriller sobre preservação ambiental e ativismo. Camila Pitanga, Leandra Leal, Débora Falabella e Taís Araújo vivem as protagonistas. "O que é legal nessa série é que a gente não está discutindo se essas mulheres são infelizes na vida pessoal, mas sobre a vida delas no trabalho", defendeu Débora também na CCXP. A produção tem uma segunda temporada confirmada, mas não há previsão de lançamento na plataforma. Sabe-se apenas que será em 2019.

Mulher-Maravilha 2

Previsto inicialmente para 2019, o filme foi transferido para 2020. Intitulado Mulher-Maravilha 1984, o longa-metragem se passa nos anos 1980 nos Estados Unidos. A sinopse oficial ainda não foi revelada. Gal Gadot, que roubou a cena em Batman vs. Superman e chamou a atenção no primeiro filme da heroína, retorna para viver a amazona Diana.
 
Na onda de muita ação
 
Filmes e séries tradicionais de ação também aderiram ao protagonismo feminino. A animação Carmen Sandiego traz uma ladra extremamente bem treinada ao melhor estilo “Robin Hood” entregando as vítimas de vilões o que lhes foi furtado. A personagem foi treinada por uma agência de detetives. O seriado estreia em 18 de janeiro na Netflix.

Em 14 de fevereiro, chega aos cinemas a adaptação do anime Alita: Battle Angel, que acompanha uma ciborgue com grande conhecimento de artes marciais. Em busca de informações sobre o passado, ela trabalha como caçadora de recompensas. O filme tem direção de Robert Rodriguez.

Depois de viver a forte Valquiria em Thor: Ragnarok, a atriz Tessa Thompson agora unirá forças ao time dos Homens de Preto em MIB: Internacional, que estreia em 14 de junho. "Eu interpreto a Agente M, uma mulher que teve experiência com aliens e com a organização na infância. E ela passa a vida toda procurando por eles. Diferentemente dos outros filmes, em que alguém é recrutado pela organização, dessa vez, é ela que encontra o MIB. Então ela quebra as regras, é destemida e inteligente", revelou Tessa em participação surpresa na CCXP.

Outra franquia que será invadida por personagens mulheres é Exterminador do futuro, que estreia o sexto filme da saga em 22 de novembro. Em sua sexta história, o filme terá como foco Sarah Connor, que voltará a ser vivida por Linda Hamilton. Também estão confirmadas Natalia Reyes, que dará vida a Dani Ramos, e Mackenzie Davis, que interpretará Grace.

Dirigida por Tim Miller e com produção de James Cameron, a intenção da produção é focar em protagonistas mulheres. "Tão significativo quanto ela (Linda Hamilton) foi para estrelas femininas e de ação desde então, vai ser muito importante ter esta guerreira experiente que ela se tornou de volta", revelou James Cameron em entrevista ao The Hollywood Reporter.

No mesmo mês, porém no dia 1º, está previsto o lançamento do reboot de As Panteras. A produção das espiãs terá Kristen Stewart, Naomi Scott e Ella Balinska nos papéis que já foram de Cameron Diaz, Drew Barrymore e Lucy Liu na franquia dos anos 2000. O ano se encerrará com a volta da jedi Rey para o Episódio 9 de Star wars, que chega aos cinemas em 19 de dezembro. O filme ainda não teve detalhes revelados pela Disney, responsável pela produção.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.