premiação Oscar estuda apresentação sem anfitrião, ou com grupo de comediantes De acordo com o portal Variety, Academia foi pega de surpresa pela saída de Kevin Hart

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 11/12/2018 10:36 Atualizado em:

Academia tem pouco tempo para decidir sobre a substituição. Foto: AFP / Robyn BECK
Academia tem pouco tempo para decidir sobre a substituição. Foto: AFP / Robyn BECK
Na última semana uma grande polêmica caiu sobre a apresentação do Oscar 2019. Isso porque o anfitrião da ocasião, o humorista Kevin Hart foi envolto em uma série de tuítes homofóbicos publicados pelo mesmo ainda em 2011. Com a pressão da opinião pública e da própria academia por um pedido de desculpas, Hart preferiu desistir da apresentação e deixou a organização da premiação com um grande abacaxi para descascar.

De acordo com informações do portal Variety, a academia estaria com problemas para encontrar um substituto dado o curto tempo de preparação (a premiação será em 24 de fevereiro de 2019) e a falta de opções. O portal teria ouvido fontes da produção-executiva da premiação e a preocupação pareceu legitima: “Eles estão pirando”.

Ainda segundo fontes, a organização não esperava a desistência de Hart e foi pega de surpresa com o comunicado do comediante via redes sociais. A expectativa da organização era ter uma reunião com Hart – que já estaria marcada – para discutir uma saída viável a crise dos tuítes homofóbicos, sendo que estava quase certo um pedido de desculpas públicas por parte do comediante, mas o ator não pareceu disposto a esta opção.

Possibilidades
Uma substituição viável seria algum apresentador de talk-show – com relevância nacional nos Estados Unidos – entretanto, a Academia busca evitar tal opção, tendo em vista que as últimas edições com este perfil não vinham sendo positivas em relação a audiência (de acordo com o Variety, a premiação perdeu 19% de público nos últimos 10 anos).

Outra solução seria então fazer um show sem apresentador. Não seria algo inédito no mundo das premiações (é algo comum no VMA anual da MTV, por exemplo), mas arriscado para o formato. Entre as possíveis “soluções”, a organização pensou em recrutar um grupo de comediantes que se revessassem no palco, em um estilo SNL (popular programa norte-americano), e logo, mais conhecido do grande público.
 

 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.