Música Josildo Sá comemora duas décadas de carreira com lançamento de CD e DVD no Recife Filho mais conhecido da pequena Tacaratu, no Sertão, músico é conhecido pelo ecletismo musical das latadas

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 21/11/2018 08:03 Atualizado em: 21/11/2018 07:51

Josildo Sá comemora 20 anos de trajetória tendo o ecletismo como uma das suas principais marcas artísticas. Foto: Josildo Sá/Divulgação
Josildo Sá comemora 20 anos de trajetória tendo o ecletismo como uma das suas principais marcas artísticas. Foto: Josildo Sá/Divulgação

Montar palhoções para fazer festividades é uma tradição antiga no Sertão de Pernambuco. Quando, nessas ocasiões, as pessoas levantam forquilhas e as cobrem com latas de querosene, as festas são chamadas de "atadas". "No samba de latada se tocava coco, forró, bolero, seresta, o samba mesmo, enfim, se tocava de tudo”, relembra Josildo de Sá, natural de Floresta e criado no município de Tacaratu. Foi justamente inspirado na versatilidade desse tipo de evento que o músico conseguiu se destacar no cenário musical local. Neste ano, Josildo Sá comemora 20 anos de trajetória tendo o ecletismo como uma das suas principais marcas artísticas.

A celebração de duas décadas nos palcos será nesta quarta-feira (21), com o lançamento do CD/DVD Sons da latada (R$ 30) na Passa Disco, Zona Norte do Recife, a partir das 19h - o material já está disponível nas plataformas digitais. Também haverá um pocket show para apresentar o repertório do trabalho, composto por 15 faixas, sendo dez inéditas. “Vejo essa comemoração como um momento de renovação. É um momento muito especial. O lançamento finaliza esse ciclo de 20 anos de forró, além do Samba de latada, que projetou minha música nacionalmente. Traz um apanhado de influências, do xote ao samba de latada, do forró ao coco, da canção da toada ao arrasta-pé até chegar ao frevo”, explica o artista.

Além do usual passeio pelos ritmos, o trabalho também traz parcerias com diversos nomes da cultura regional, a exemplo de Gennaro, Beto Hortis e Cezzinha (acordeon), o maestro Israel França (violino elétrico), o percussionista Sérgio Cassiano e o jovem flautista Cesar Michiles. Jefferson Gonçalves, gaitista renomado, dá toques de blues para a faixa Açoite do vento. O frevo fica por conta do maestro Ademir Araújo, o Mestre Formiga, um dos maiores nomes do ritmo. O time de músicos foi arquitetado pelo caruaruense Hebert Lucena, responsável pela direção musical.

O lançamento também traz com maior clareza a faceta de compositor de Josildo, com seis faixas autorais em que retratam a pequena Tacaratu, cidade com cerca de 25 mil habitantes, localizada na região do Médio São Francisco, além de lembranças de infância e amores da juventude. O DVD, por sua vez, também cumpre essa função de “registro afetivo”: as filmagens realizadas no ZRG Studio, com direção audiovisual de Izabel Carvalho, são intercaladas por gravações feitas no município. 

SERVIÇO
Lançamento CD/DVD Sons da Latada, de Josildo Sá
Onde: Passa Disco (Rua da Hora, 345, Espinheiro, Recife)
Quando: nesta quinta-feira (21), a partir das 19h
Quanto: gratuito
Informações: (81) 3268-0888

Entrevista - Josildo Sá /cantor 
 
Em 1998, você lançou Virado num paletó véio. Foi desafiador lançar esse primeiro disco?
Lançar um disco sempre é desafiador. As dificuldades da época são as mesmas de hoje. Viver de música em Pernambuco é sempre assim, muita vezes temos de tirar do próprio bolso para ver acontecer. Tem vezes que tocamos e esperamos muito para receber, mas ficamos porque gostamos daqui. No final, o que aprendi desde o primeiro disco foi lidar com a música e criar laços musicais. Consegui isso no país inteiro, principalmente através do Paulo Moura. Fiz muitas parcerias. Tenho muito respeito pelo meu trabalho. Recebo outros convites para colaborações em outros gêneros musicais até hoje e vou ser sempre feliz vivendo disso.

O disco Samba de latada, lançado em 2006 com Paulo Moura, foi o seu grande sucesso. A que você atribui a repercussão?
Atribuo à música popular que estava um pouco esquecida, além da entrada do maestro Paulo Moura. Como ele era um mestre conhecido na gafieira e na música clássica, sua participação chamou muita atenção da mídia. O show do álbum virou especial de fim de ano da Rede Globo Nordeste, foi exibido em mais de cem países, tendo sido o primeiro programa produzido aqui a ser reexibido na Globo Internacional. Deu uma guinada nova. Mas a música fala de poesia, é para dançar e tem um toque de samba. Isso tudo já estava no coletivo das pessoas. Reproduzimos isso com nosso próprio estilo. Isso abriu as portas totalmente.

E para os próximos 20 anos? Já tem planos?
Esses 20 anos de agora me mostram que agora é a hora de trabalhar mais ainda. A comemoração segue em uma turnê nacional do disco que será realizada no ano que vem, com shows já pré-agendados no Rio de Janeiro e em São Paulo. Para 2019, já planejo começar novos projetos inéditos e com novas nuances, incluindo uma autobiografia. A ideia é voltar para Tacaratu e começar a escrever um livro sobre minha vida, que reflete bastante a trajetória artística da maioria. A gente sofre e paga a conta, mas ganha maturidade, energia e prazer.

Linha do tempo
 
1998
Lançou seu primeiro disco, Virado num paletó véio (Forró de latada), em que canta forró pé-de-serra de sua autoria e de outros compositores do gênero. O CD tem participação especial de Maciel Melo e composições inéditas de Lula Queiroga e Miguel Marcondes.

2004
Josildo lança o disco Coreto, com maioria das músicas de composições próprias, mas há também músicas de Assisão, Dominguinhos, Ednardo e Anchieta Dali, seu maior parceiro.

2006
Lança Samba de latada, com Paulo Moura, e inicia turnê nacional. Foi sucesso de crítica no país. A dupla participou do TIM Festival e realizou 11 apresentações no Sudeste, incluindo Teatro Rival (RJ) e Sesc Pompéia (SP).

2008
Grava o DVD Samba de latada ao vivo, com Paulo Moura, no Teatro de Santa Isabel. O show virou especial de fim de ano da Rede Globo Nordeste, foi exibido em vários países pela Globo Internacional.

2011
Lança Tem frevo na latada, voltado para o carnaval. 

2012
Vence o concurso do hino do Galo da Madrugada e é destaque no desfile do Galo, junto a Elba Ramalho e Jorge Vercillo, todos acompanhados pela orquestra do Maestro Spok. Foi a primeira vez que um sertanejo desfilou de gibão, traje tradicional dos vaqueiros, no bloco.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.