Música Satisfazendo fãs, Azealia Banks realiza show conciso no Recife Cantora e rapper norte-americana animou o público com sucessos de seu repertório autoral, além de um cover de João Gilberto

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 16/11/2018 08:12 Atualizado em: 16/11/2018 10:27

Artista se apresentou no palco do Bailito, em evento que serviu como abertura da 15 edição do festival No Ar Coquetel Molotov. Foto: Bieco Garcia/Divulgação
Artista se apresentou no palco do Bailito, em evento que serviu como abertura da 15 edição do festival No Ar Coquetel Molotov. Foto: Bieco Garcia/Divulgação


O público recifense pôde prestigiar os vocais poderosos e as rimas frenéticas da cantora e rapper norte-americana Azealia Banks na madrugada desta sexta-feira (16). A artista se apresentou no palco do Bailito, na Zona Oeste do Recife, em evento que serviu como abertura da 15ª edição do festival No Ar Coquetel Molotov. Durante uma hora e meia, cantou várias canções de seu repertório autoral, com destaque para Anna Wintour e 212, que previsivelmente foram as faixas que mais causaram euforia. Entre as batidas eletrônicas que marcam sua sonoridade, se destacou um cover de Chega de saudade. O clássico bossa novista de João Gilberto foi interpretado pela nova-iorquina em perfeito português.

Antes da atração estrangeira, dois nomes locais aquecerem o local. O set da DJ e multiartista pernambucana TransAlien abordou sucessos dances dos anos 1980 e 1990. Um pouco antes do fim da apresentação, ela saiu do palco e deixou tocar um forte discurso em defesa da vida da população transexual. Voltou para um marcante performance de Máscara, sucesso do início da carreira de Pitty. O refrão, "seja você, mesmo que seja bizarro", soou político como nunca. O DJ Iury Andrew, que inicialmente iria encerrar o evento, acabou tocando antes de Azealia - dando forças aos boatos de que a diva exige ser a última atração dos line ups.

Foto: Bieco Garcia/Divulgação
Foto: Bieco Garcia/Divulgação


Apesar de agradas fãs e admiradores, o show Banks foi bastante conciso. Subiu no palco com figurino provocativo e apresentou as músicas ao lado de duas dançarinas, um baterista e um beatmaker. Não conversou tanto com o público e, pós finalizar o repertório, deixou o local sem delongas. Por provavelmente conhecer o perfil da artista, os presentes sequer pediram bis. A sensação final foi de que a apresentação teria sido mais proveitosa caso realizada no próprio Coquetel Molotov, no sábado (17) - o que não foi possível pela agenda agitada da cantora. Afinal de contas, Azealia é conhecida por fazer shows memoráveis em festivais, a exemplo do Choachella em 2015.

Foto: Bieco Garcia/Divulgação
Foto: Bieco Garcia/Divulgação


Quem desejava ver mais da irreverência da diva ao vivo teve de se contentar com suas publicações na função Stories do Instagram. Ela postou vídeos correndo na praia de Boa Viagem e fotos com produtos locais como bolo de rolo, paçoca e Pitú - chegou a dizer que "viu ancestrais" após tomar a cachaça. 

O show na capital pernambucana também acabou sendo o único realizado no Nordeste, já que a artista cancelou a apresentação que faria em Fortaleza (CE) após desentendimentos com a produção do evento contratante. Ela encerra a turnê no Brasil nesta sexta-feira (16), em São Paulo.

Assista ao vídeo:

%u201CANNA WINTOUR%u201D - Recife, Brazil.

Uma publicação compartilhada por Azealia Banks (@azealiabanks) em



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.