Teatro Espetáculo Magna leva ao palco a dança da superação Peça aborda o câncer de mama de forma leve, lúdica e poética

Por: Caio Ponciano

Publicado em: 17/10/2018 07:58 Atualizado em:

Jornalista e bailarina, Christianne Galdino transformou sua luta contra a doença em arte. Foto: Lucas Lima/Divulgação
Jornalista e bailarina, Christianne Galdino transformou sua luta contra a doença em arte. Foto: Lucas Lima/Divulgação

Há pouco menos de um ano, a jornalista e bailarina pernambucana Christianne Galdino, 45, residia em Lisboa (Portugal) quando, após um autoexame, descobriu que estava com câncer de mama. Essa situação não era novidade na vida de Christianne, porque em 1991 a mãe dela, Dona Magna, faleceu após complicações da mesma doença. “Quando eu fui diagnosticada, não fiquei abatida por já ter passado por essa experiência, e quis logo procurar o tratamento. Busquei tudo o que eu pude para ajudar a medicina a me curar, então minha primeira reação foi esse sentido prático”, conta a artista, que decidiu transformar essa história em um espetáculo de dança, que leva o nome de sua mãe.

A sessão de pré-estreia de Magna será realizada nesta quarta-feira (17), no Teatro Barreto Júnior, no Pina, a partir das 20h, dentro do 23º Festival de Dança do Recife. Na quinta-feira (18), o espetáculo vai ao Teatro de Santa Isabel, no bairro de Santo Antônio, para a estreia oficial, também como parte do festival, às 19h. Toda a renda arrecadada com a bilheteria das apresentações será destinada a pacientes do Hospital de Câncer de Pernambuco. 

Quando iniciou o tratamento, em fevereiro deste ano, Christianne contou com o apoio de Pedro Pernambuco, também bailarino e seu “irmão na dança”, que o incentivou a criar o espetáculo. “Eu estava procurando uma forma de ajudar as pessoas e também estava querendo voltar a dançar”, relembra. A última vez que Christianne dançou profissionalmente foi em 2003. Depois disso, ela permaneceu na área da dança, mas exercendo outros papéis. Com a ideia de retomar a carreira, a bailarina voltou com as aulas de dança e já se sentia pronta para fazer algo nos palcos.

Magna estreia exatamente no mês dedicado a falar do câncer de mama, por meio do Outubro Rosa. Christianne e um elenco de 30 pessoas abordam de forma leve, lúdica e poética a delicada e complexa luta contra a doença. “Não é fácil falar de um assunto como esse. Tem momentos dramáticos, mas a gente também procurou trabalhar com humor, levar isso com boa autoestima e alto astral. E como nossas danças populares têm essa energia festiva, isso ficou mais fácil”, explica. 

A ideia inicial era que a montagem tivesse uma trilha sonora original, mas não foi possível concretizá-la. Por este motivo, compositores pernambucanos cederam direitos autorais de suas canções para compor a trilha de Magna. A música Me curar de mim, da cantora recifense Flaira Ferro, dá o tom ao início do espetáculo, na voz de Lua Magna, filha de Christianne. A peça segue sob o repertório do flautista Cesar Michiles, do percussionista Gilú Amaral, do baterista Johann Brehmer e do Quarteto Encore.

Christianne Galdino iniciou sua carreira fazendo parte do elenco fundador do Balé Brasílica (braço jovem do Balé Popular do Recife), do qual passou a ser bailarina em 1991, mesmo ano em que sua mãe faleceu. A partir disso, ela começou sua formação nas danças populares e é por este motivo que o Magna explora em sua narrativa ritmos como maracatu, caboclinho, xaxado e frevo.

Serviço
Espetáculo Magna
Quando: hoje, às 20h (pré-estreia) - amanhã, às 19h (estreia)
Onde: Teatro Barreto Júnior (Rua Est. Jeremias Bastos, s/n, Pina) e Teatro de Santa Isabel (Praça da República, s/n, Santo Antônio)
Quanto: R$ 20 e R$ 10 (pré-estreia) - R$ 10 e R$ 5 (estreia)
Informações: 99721.4371 / 99721.4371 e 3355.3323


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.