televisão Ana Maria Braga briga no STJ por direito autoral do Louro José Apresentadora pede o reconhecimento da criação do boneco, além de uma indenização no valor de R$ 650 mil aos artistas Antonio Marcos Costa de Lima e Renato Aparecido dos Santos

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 15/10/2018 20:44 Atualizado em: 15/10/2018 20:56

Foto: Divulgação/TV Globo (Foto: Divulgação/TV Globo)
Foto: Divulgação/TV Globo
A 3ª turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) vai julgar nesta terça (15), às 10h, o processo no qual a apresentadora Ana Maria Braga e o ex-marido, Carlos Madrulha, movem contra os artistas Antonio Marcos Costa de Lima e Renato Aparecido dos Santos pelo boneco Louro José. A relatora do caso é a ministra Nancy Andrighi. 

A apresentadora pede o reconhecimento da criação do boneco Louro José e uma indenização por danos morais no valor de R$ 650 mil. Segundo ela, o boneco foi criado em 1997. O nome seria por causa do filho de Ana Maria e as características inspiradas no papagaio de estimação do casal. 

Ainda de acordo com Ana Maria e Madrulha, o Louro José teria sido registrado na Escola de Belas Artes, mas foram surpreendidos com um pedido de anulação pelos artistas Antonio Marcos Costa de Lima e Renato Aparecido dos Santos, contratados para confeccionar o boneco. 

Em 2012, Ana Maria Braga deu entrada no processo, mas a juíza pediu que a apresentadora complementasse as informações. A partir daí, Madrulha foi incluído no processo - ele já havia entrado com outra ação contra os mesmos artistas e já tinha sido reconhecido pela Justiça. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.