Cinema Festival Animage exibe pela primeira vez no Brasil cópia restaurada de Yellow Submarine, dos Beatles Animação inglesa é um dos destaques da programação, que terá oito longas-metragens em exibição e 200 curtas

Por: Breno Pessoa

Publicado em: 02/10/2018 10:26 Atualizado em: 02/10/2018 10:59

Animação completa 50 anos em 2018. Crédito: Subafilms/Divulgação
Animação completa 50 anos em 2018. Crédito: Subafilms/Divulgação

O ponto forte do Animage - Festival Internacional de Animação de Pernambuco - é, sem dúvida, o recorte da produção audiovisual contemporânea do segmento. Mas nesta nona edição, o evento, que será realizado de 12 a 21 de outubro, traz entre os destaques da programação um título do gênero que completa cinco décadas de lançamento: Yellow submarine, o musical animado dos Beatles. Um dos oito longas-metragens da grade do festival, a produção inglesa terá a primeira exibição no Brasil de sua cópia restaurada com resolução digital 4K e trilha sonora remixada em surround 5.1 estéreo. A sessão será no dia 17, às 20h, no Cinema São Luiz. Confira a programação completa aqui.

O desenho animado do quarteto de Liverpool é só um entre os 200 títulos que serão exibidos na Caixa Cultural Recife, São Luiz, Cinema da Fundação - Derby, Praça da Várzea (Pinto Damaso), Parque Santos Dumont e Parque da Macaxeira. Após o encerramento da programação regular, o festival circulará por três municípios do interior do estado: Triunfo (Cine Teatro Guarany, de 26 a 28), Belo Jardim (Instituto Conceição Moura, nos dias 26 e 27) e Caruaru (Armazém da Criatividade, nos dias 30 e 31. A maior parte da programação é gratuita e apenas os ingressos para sessões do São Luiz e Cinema da Fundação serão cobradas, ao preço único de R$ 5. As entradas podem ser retiradas uma hora antes das sessões.

O foco da programação segue nos títulos autorais e independentes. Segundo o curador do festival, Julio Cavani, "percebe-se que a produção contemporânea de animação continua a exercer uma liberdade plena de expressão e também está bem próxima da realidade social". Para Cavani, essa proximidade com o cotidiano pode ser notada em filmes realizados a partir de entrevistas, depoimentos e processos normalmente mais utilizados por documentários. O cineasta acrescenta que, no entanto, "o experimentalismo abstrato, os exercícios estéticos de estilo e o humor cartunesco continuam bastante presentes".

Apenas para a mostra competitiva de curtas, a organização do festival recebeu 800 inscrições, de 64 países, um total de inscritos 30% superior à edição anterior do evento. Por fim, foram selecionados 90 títulos de 32 países. A Mostra Competitiva é dividida entre sessões adultas e infantis, com prêmios nas categorias Melhor Curta-Metragem - Grande Prêmio Animage, Melhor Curta Infantil, Melhor Curta Brasileiro e Prêmio do Público, além de melhor Direção, Roteiro, Direção de Arte, Técnica e Som. O júri desta edição é composto pela diretora francesa Anaïs Caura, pela storyboarder paulista Ana Flávia Marcheti e pela animadora argentina Paola Becco.
Premiado em outros festivais nacionais, Guaxuma, de Nara Normande, terá primeira exibição no Recife. Crédito: Animage/Divulgação
Premiado em outros festivais nacionais, Guaxuma, de Nara Normande, terá primeira exibição no Recife. Crédito: Animage/Divulgação

Já a seleção de longas que, segundo a organização, fazem do Animage o festival de animação brasileiro com o maior número de obras desse formato, terá produções inéditas no Brasil, como Ville Neuve (Canadá), de Félix Dufour-laperrière, feito em técnica artesanal com nanquim sobre papel. Outro destaque entre os longas é The man-woman case, (França) de Anaïs Caura (França), baseado na vida de Eugeni Falleni, homem trans que, no fim do século 19, foi acusado e condenado pelo assassinato da esposa.

Inédito no Recife, A cidade dos piratas, do veterano Otto Guerra, recém-finalizado após quase 20 anos de produção, será o destaque da noite de abertura do evento. A animação é inspirada na vida e obra de Laerte Coutinho. Convidado do festival, Otto Guerra também terá uma mostra dedicada a seus filmes e irá ministrar masterclass sobre cinema underground. A noite de abertura, no dia 16 de outubro, no São Luiz, será também estreia, no Recife, do curta Guaxuma, de Nara Normande, cineasta alagoana radicada em Pernambuco. Já exibida no Anima Mundi 2018, a produção pernambucana foi recentemente premiada como melhor curta-metragem no Festival de Gramado.

[Oficinas
O Animage terá oficinas gratuitas, com inscrições abertas até o dia 5, pelo www.animagefestival.com. Os temas são Protagonistas - Personagens femininas para stop motion, pela cineasta mineira Giuliana Danza; Animação projetada na cidade, com André Catoto, de São Paulo; e Perdido em mundos de miniaturas de papel, com o alemão Jonatan Schwenk.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.