Internet Caio Braz, youtuber e apresentador pernambucano: 'Minha função é compartilhar conhecimento' Apresentador do Marmitas e Merendas, recifense é um exemplo de figura que foi para a TV graças ao sucesso na web

Por: Adriana Izel - Correio Web

Publicado em: 02/10/2018 11:01 Atualizado em: 02/10/2018 10:01

No YouTube, ele tem um canal com mais de 112 mil inscritos. Foto: Estúdio Bingo/Divulgação
No YouTube, ele tem um canal com mais de 112 mil inscritos. Foto: Estúdio Bingo/Divulgação

Caio Braz é onipresente. Está em todas as redes sociais da internet e também na televisão, sempre bombando. No YouTube tem um canal com mais de 112 mil inscritos, em que fala de tudo um pouco, desde dicas aos gringos que chegam ao Brasil à moda masculina. No Instagram é seguido por 150 mil pessoas. Lá compartilha um pouco do seu dia a dia, além de comandar um programa Xou das nove, no IG TV. Já na televisão é o apresentador a duas temporadas do programa Marmitas e merendas, do GNT, emissora que o revelou na atração GNT Fashion.

Toda essa trajetória faz parte do bate papo de Caio Braz com o Próximo Capítulo/Diario. Confira a seguir o que apresentador falou sobre o sucesso na internet, as variedades de assuntos em que é uma espécie de especialista e o motivo de se posicionar.

Entrevista / Caio Braz

Você é hoje uma personalidade da tevê e da internet. Como isso começou?
Acho que começou quando eu tinha só uns 11 anos de idade. Meu primeiro site foi uma fanpage das Spice Girls, onde eu criei um YouTube exclusivo com vídeos delas. Naquela época isso não existia e eu virava as noites transformando uma fita de videocassete em arquivos virtuais. Eu sempre gostei da internet. Depois, mais velho, comecei a criar vídeos de moda e viagens, até que o GNT assistiu minhas coisas e me chamou para um teste. Isso foi em 2011. Desde então, estou lá, transitando entre projetos como o GNT fashion, Marmitas e merendas, Papo de segunda, Saia justa, prêmios do canal, etc.

Como veio a oportunidade de participar do Marmitas e Merendas? E o que podemos esperar da nova temporada?
O Marmitas é um projeto bem especial. Resolvemos criar juntos um programa que falasse sobre o comportamento das pessoas com a alimentação, algo que fosse além de um programa de receitas. Falamos sobre qualidade de vida, rotina, organização, alimentação saudável, equilíbrio. O programa tem uma audiência ótima, fiquei muito feliz. Temos convidados especiais da música como Luan Santana, Lenine, Daniela Mercury, Joelma. Muita gente bacana marmitando!

Você lançou em julho o programa Xou das nove no Instagram. Como veio a ideia do programa e como funciona? Como você escolhe os convidados que vão participar?
A ideia foi de criar um talk show interativo usando o próprio Instagram. Todas as noites, às 21h, eu entro ao vivo com um convidado especial, seja um político, cantor, ator, ativista, influenciador e batemos um papo de mais ou menos uma hora sobre assuntos do universo do convidado, e as pessoas que assistem podem participar e enviar perguntas. Escolhemos convidados que a gente acha que estão ligados no debate nacional e que agregam conteúdo às pessoas.

Além do programa no Instagram, você também tem um canal no YouTube e é bastante engajado nas redes sociais. Para você, qual é a importância da internet na sua carreira?
A internet é tudo na minha carreira. É super importante. É o lugar onde eu desenvolvo ideias mais complexas, já que na tevê ainda não consegui ocupar este espaço para articular esses outros temas. Crio muitos vídeos e séries sobre comportamento e cultura. Com o trabalho na internet, consigo gerar renda de publicidade, pagar minhas contas, meus colaboradores. Ganho bem mais dinheiro na internet do que na TV. Somos mais de 10 pessoas trabalhando, entre YouTube, Instagram e blog.

Você é uma personalidade que está ligada a diferentes assuntos. De onde vem tanta inspiração e tanto conhecimento em diferentes temas? Como faz para transitar entre esses temas?
Eu estudo bastante, estou sempre lendo muitos livros, assistindo documentários, tentando me especializar de uma maneira autodidata. Vivemos em uma época de excesso de informação e uma grande lacuna em formação de pensamento. Resolvi voltar para a academia e fazer uma pós-graduação em filosofia contemporânea. Gosto muito de idiomas também, falo cinco línguas e acho que isso ajuda bastante a abrir o universo, estar ligado em novas linguagens. Tudo isso é para ter mais conteúdo para compartilhar com as pessoas. Entendo que a minha função é compartilhar conhecimento e só por isso as pessoas me seguem. Minhas selfies não são tão boas assim.

Imagino que as pessoas te peçam muitos conselhos por conta do Brazil explained e do Marmitas e merendas. Pensando nisso, qual é o principal conselho que dá aos gringos em relação aos brasileiros e qual é a melhor dica para uma boa marmita?
Sobre o Brasil, o principal é vir para cá e quebrar os preconceitos. E relaxar, porque aqui realmente o ritmo é diferente. As pessoas são menos rígidas, com horários, por exemplo. As relações sociais são mais informais, tem uma outra velocidade. Eu na verdade gosto disso no Brasil. Sobre as marmitas, as minhas preferidas são os lanches: castanhas, frutas, granola. Tudo misturado. Barato e fácil de levar!

Você faz questão de valorizar suas raízes pernambucanas e também, de certa forma, ser um representante da comunidade LGBT. Como pessoa pública, para você, qual é a importância de se colocar dessa forma?
Para mim ser nordestino é motivo de muito orgulho. Eu amo minhas raízes e me conecto com a cultura de Pernambuco sempre: música, cinema, artes visuais. É um lugar muito especial. Assim como ser da comunidade LGBT. Sempre fui gay, me reconheço assim desde criança, e quando cheguei no mundo artístico achei que tivesse que ‘esconder’ isso para ser aceito. Depois entendi que o certo a se fazer era desconstruir preconceitos através do ativismo. Elaborar as questões LGBT+, como lutar contra a homofobia, o mal uso do pink money, a violência.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.