revelação Padma Lakshmi relata ter sido abusada aos 16 anos A apresentadora do programa Top Chef diz entender as mulheres que se mantém em silêncio após serem vítimas de abuso sexual

Por: Estado de Minas

Publicado em: 27/09/2018 17:10 Atualizado em: 27/09/2018 19:32

Na época, Padma guardou segredo por acreditar que poderia ter tido culpa. Foto: Arquivo/AFP PHoto
Na época, Padma guardou segredo por acreditar que poderia ter tido culpa. Foto: Arquivo/AFP PHoto

Em uma carta aberta ao 'The New York Times', Padma Lakshmi, de 48 anos, contou o motivo de ter esperado 32 anos para relatar o abuso, e disse ainda enteder a razão de muitas vítimas manterem silêncio após serem agredidas sexualmente.

A revelação de Padma veio após o presidente Donald Trump questionar a credibilidade de duas mulheres que diziam ter sido abusadas pelo juiz Brett Kavanaugh, indicado pelo próprio presidente norte-americano para presidir ao Supremo Tribunal dos EUA. A modelo e apresentadora usou seu caso para defender essas mulheres.

Na época, Padma guardou segredo por acreditar que poderia ter tido culpa, uma vez que seu agressor era o próprio namorado.'Não disse nada à minha mãe, aos meus amigos nem à polícia. No início estava em choque', escreveu na carta ao The New York Times, recordando que nessa mesma noite foi 'dormir na esperança de esquecer'.

Sem revelar a identidade do agressor, conta apenas que era um rapaz mais velho com quem namorava. 'Ele sabia que eu era virgem e que não sabia quando estaria pronta para ter relações sexuais. Na véspera do Ano Novo, poucos meses depois de começarmos a namorar, ele violou-me', confessou.

'Estávamos conversando e eu estava tão cansada que me deitei na cama e acabei dormindo. O que me lembro depois é de acordar com uma dor aguda entre as minhas pernas. Ele estava em cima de mim. Perguntei o que é que estava fazendo e ele disse: "Vai doer apenas durante um tempo". Gritei e o pedi para não fazer aquilo. A dor era absurda'.

O objetivo de divulgar essa história tanto tempo depois, segundo Padma Lakshmi, é encorajar outras mulheres a não se culparem ou se envergonharem, e a denunciarem todo e qualquer abuso.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.