justiça Bill Cosby é considerado 'predador sexual violento' e condenado à prisão O ex-apresentador não deu nenhuma declaração no tribunal

Por: AE

Publicado em: 26/09/2018 14:31 Atualizado em:

Cosby enfrenta as acusações por ter violentado a administradora Andrea Constand. Foto: Reprodução / Youtube
Cosby enfrenta as acusações por ter violentado a administradora Andrea Constand. Foto: Reprodução / Youtube
O comediante e ex-apresentador de TV norte-americano Bill Cosby, de 81 anos, recebeu nesta terça-feira (25) a sua sentença pela acusação de drogar e atacar sexualmente uma mulher em 2004. A Justiça decidiu definir que Cosby é um "predador sexual violento" e, foi condenado de três a 10 anos de prisão. 

O juiz Steven O'Neill leu a sentença nesta terça, cinco meses depois de sua condenação neste que foi o primeiro julgamento de uma celebridade após a era do movimento #MeToo, contra assédio sexual em Hollywood. 

Bill Cosby não deu nenhuma declaração no tribunal.

Os promotores haviam pedido à Justiça, na segunda-feira, uma pena de cinco a 10 anos de prisão para o comediante. Os advogados de defesa pediram a prisão domiciliar, sob a alegação de que Cosby está muito velho e precisa de ajuda por estar parcialmente cego. 
 
De acordo com a agência de notícias AP, Bill Cosby sorria e fazia piadas com seu porta-voz durante a audiência. Na sessão da segunda-feira, ele riu algumas vezes quando um psicólogo em depoimento o retratou como um predador sexual.

Lise-Lotte Lublin, uma das testemunhas, disse estar mais emocionada do que achou que estaria. 'Houve justiça, afinal- aleluia!'.

Cosby enfrenta as acusações por ter violentado a administradora Andrea Constand, hoje com 45 anos, em sua residência, nos arredores da Filadélfia, em 2004. Constand fez sua primeira acusação contra o comediante em 2005 e, desde então, mais de 60 mulheres afirmaram ter sofrido algum tipo de assédio por parte de Cosby. Esta é, no entanto, a primeira vez em que um caso foi à justiça e Cosby condenado. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.