Literatura Escritor Stefanni Marion inicia nova fase de oficina sobre escrita memorialista no Recife Aulas vão aprofundar os exercícios que fazem um resgate das memórias esquecidas dos alunos participantes

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 21/09/2018 10:01 Atualizado em: 21/09/2018 10:57

Stefanni Marion é autor dos livros Inventário e Temporário. Foto: Stefanni Marion/Divulgação
Stefanni Marion é autor dos livros Inventário e Temporário. Foto: Stefanni Marion/Divulgação

Após uma série de aulas inaugurais de seu projeto de oficina sobre Memorialismo, o escritor Stefanni Marion lança a fase Vivência de seu projeto. Nas aulas, realizadas no Centro do Recife, serão aprofundados os exercícios que farão um resgate das memórias esquecidas dos alunos participantes. Para integrar essa fase, não é necessário ter participado da aula inaugural. A Oficina de Escrita: memorialismo, baús e lampiões trabalha o gênero que tem como característica a narrativa de histórias verídicas ou baseadas em fatos reais. Distingue-se da biografia por ser uma escrita onde o autor não se atêm a contar a vida de alguém em particular, mas sim narrar sua própria história de acordo com alguma lembrança pontual. 

"Desde sua estreia no Recife, tive uma repercussão muito positiva com oficina de memorialismo. Movido por esse resultado, resolvi estender o projeto e provocar um mergulho profundo no tema. Não gosto da expressão Módulo, acho muito técnica pra um método tão íntimo de explorar baús e escrever memórias. Por isso essa fase tem um apelido carinhoso, Vivência. Durante as aulas, onde vivências são rememoradas e compartilhadas com o grupo, todos saem enriquecidos. Conduzo os exercícios e valido o método de forma afetiva com os alunos. Não gosto de criar climas de disputa durante o processo. Toda a memória resgatada, das camadas mais escondidas do subconsciente, é pedra preciosa", diz o facilitador da oficina.

O memorialismo é calcado na importante e longa tradição acadêmica. Este é, aliás, um gênero literário cuja influência Stefanni Marion julga central em sua obra e estudos, valendo-se da aproximação sempre pertinente de nomes do quilate de Bartolomeu Campos de Queirós, Carolina Maria de Jesus, Conceição Evaristo, Graciliano Ramos, Karl Ove Knausgård, Sylvia Plath e Pedro Nava.  

Nesse sentido, o intuito desta narrativa é sedimentar esteticamente a vivência de eventos marcantes na vida dos escritores, resgatados pelo procedimento da rememoração, buscando a capacidade criativa de construção de novas experiências literárias. A oficina não tem intenção de formar memorialistas. O escritor diz que o diferencial e desafio do projeto é que os alunos, após transcreverem uma memória emotiva, transformem esses textos em ficção. O intuito se valida, pelo viés da memória, em provocar/despertar nos participantes a prática da escrita em prosa. Marion pretende organizar, ao final da turnê literária e ciclo de oficinas, uma antologia em parceria com a editora Zanzar.

MAIS SOBRE O ESCRITOR
Stefanni Marion nasceu no vilarejo de pescadores Barra do Una (SP) em 1981. É autor dos livros Inventário (Patuá, 2014) e Temporário (Patuá, 2012). Antologista, idealizador e organizador de projetos literários, dentre eles destacam-se A TORRE: antologia de poesia confessional, cartas e diários íntimos (Castanha Mecânica, 2017) e GOLPE: antologia-manifesto (Nosotros, 2017). Seus poemas e textos foram publicados em diversos periódicos virtuais no Brasil, alguns foram traduzidos e circularam em revistas estrangeiras. Atualmente vivencia imersão literária pelo Nordeste brasileiro para explorar barragens, colher histórias e realizar seu novo projeto literário.

SERVIÇO
Onde: Zanzar Coletivo (Rua da Aurora, 127, apto 1001 / Boa Vista, Recife)
Quando: De 26 de setembro a 24 de outubro (sempre às quartas-feiras, das 19h às 22h)
Quanto: R$ 300
Informações: (71) 9253-4723 e stefanni.marion@gmail.com


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.