Artes plásticas Postais são vistos sob o olhar artístico em exposição no Recife A curadoria de Teia Postal sofrerá alterações feitas pelo próprio público, que pode enviar obras para a mostra

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 18/09/2018 10:01 Atualizado em: 18/09/2018 10:22

São cerca de 150 trabalhos produzidos durante oficinas de criação realizadas nos campus do Recife e de Caruaru. Foto: IAC/Divulgação
São cerca de 150 trabalhos produzidos durante oficinas de criação realizadas nos campus do Recife e de Caruaru. Foto: IAC/Divulgação


Com a consolidação dos meios digitais, a circulação de cartas, telegramas e cartões-postais tem se tornado cada vez mais rara. Trazer reflexões sobre esses objetos ligados aos correios e apresentá-los como obras de arte é o objetivo da exposição Teia postal, organizada pelo professor da UFPE e artista visual Eduardo Romero. A mostra entra cartaz desta terça-feira (18) e fica disponível até final de outubro, no Instituto de Arte Contemporânea, no Centro Cultural Benfica da UFPE, localizado na Madalena.

São cerca de 150 trabalhos produzidos durante oficinas de criação realizadas nos campus do Recife e de Caruaru. A concepção expográfica e curatorial teve parceria do Núcleo Experimental de Curadoria, coordenado por Renata Wilner. “A mostra nasceu de um projeto de extensão, cujo objetivo era criar um ateliê de fotografia. Queríamos construir um acervo de artes postais, mas aí veio essa ideia de criar uma ‘teia’, uma articulação em que os alunos pudessem fazer intervenções, gravuras e desenhos e articular essas correspondências. Não era algo pensado, mas percebemos que as pessoas realmente perderam o hábito de usar postais”, explica Eduardo Romero.

Além de participar de oficinas (a programação será divulgada em breve nas redes sociais do Centro Cultural Benfica), o público terá a oportunidade de ver suas próprias criações na mostra. Os interessados podem enviar obras para a exposição (caixa postal 706, Olinda-PE, CEP: 53030-970) ou deixá-las em uma caixa de correio disponível no Instituto de Arte Contemporânea.

Foto: IAC/Divulgação
Foto: IAC/Divulgação

“Isso é um diferencial da exposição. Ela demanda de uma espera, uma correspondência que ainda vai chegar. É como se a exposição não estivesse pronta ou acabada, pois vamos fomentar ações que provocam dinâmica. Toda vez que o visitante entrar, perceberá alterações”, explica Renata Wilner.

“Com isso, queremos discutir arranjos, dificuldades entre elementos, quais narrativas eles articulam. É uma observação para interferir sempre com a mediação do público. Questões que vão emergir do próprio material que vai sendo enviado. São vias de comunicação que pretendemos abrir e que não são convencionais”, conclui. Em novembro, a Teia postal ganhará uma nova temporada na Galeria Capibaribe, localizada dentro do Centro de Artes e Comunicação da UFPE, na Várzea.

SERVIÇO
Exposição Teia Postal
Onde: Centro Cultural Benfica (Rua Benfica, 157, Madalena)
Quando: desta terça-feira (18) até 26 de outubro, sempre de segunda a sexta, das 8h às 19h
Quanto: Gratuito


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.