cobertura 'O Recife é um dos lugares que mais amo nesse mundo', diz Caetano Veloso durante show em Pernambuco O músico baiano se apresentou ao lado dos filhos, no Teatro Guararapes

Por: Caio Ponciano

Publicado em: 17/09/2018 16:30 Atualizado em: 17/09/2018 18:43

Zeca, Caetano, Moreno e Tom. Foto: Pedro Pereira/Vagalume Comunicação
Zeca, Caetano, Moreno e Tom. Foto: Pedro Pereira/Vagalume Comunicação

No último sábado (15), o cantor Caetano Veloso desembarcou em Pernambuco com os filhos Moreno, de 45 anos, Zeca, 26, e Tom, 21, para apresentar a bem-sucedida turnê, que leva o nome dos quatro: Caetano Moreno Zeca Tom Veloso. Com ingressos esgotados, o show foi realizado no Teatro Guararapes, em Olinda. As músicas Alegria, alegria e O seu amor deram início à apresentação. Logo depois do samba Boas-vindas, feita para o nascimento de seu segundo filho, Caetano cumprimentou o público. "O Recife é um dos lugares que mais amo nesse mundo", disse, antes de anunciar o mais recente sucesso, Todo homem, composto e cantado em falsete por Zeca.

Fugindo do roteiro e surpreendendo até os próprios filhos, Caetano puxou uma canção, nunca antes gravada, feita por Gilberto Gil para Moreno Veloso, ainda criança. Em determinado momento, o eterno tropicalista revelou que Tom diz não gostar de cantar, mas aprecia músicas sofisticadas. "Eu canto, mas meu pai vai me ajudar", respondeu o caçula, antes de mostrar seu timbre nas faixas Clarão e De tentar voltar. A apresentação seguiu com A tua presença morena e Um só lugar, composição de Tom Veloso e Cézar Mendes. Durante a canção Alexandrino, Tom deixou a timidez de lado e arrancou gritos do público ao dançar funk. Os sucessos Oração ao tempo e Alguém cantando deram continuidade ao show.

Quando a apresentação já chegava na metade, Caetano falou da religiosidade dos filhos e revelou que, apesar de se considerar agnóstico, compôs uma letra religiosa a pedido de sua irmã Mabel. A faixa ganhou o nome de Ofertório, título dado ao CD e DVD do quarteto, lançado em maio. Um dos pontos altos foi durante a música Reconvexo, eternizada na voz de Maria Bethânia, e cantada em coro pelo público. Outro sucesso de Caetano, O leãozinho, ganhou uma nova versão por Moreno. "Até que ela é bonitinha", brincou o primogênito. Além de ser uma homenagem à memória de Dona Canô (1907-2012), essa turnê também é dedicada às mães dos meninos. Por este motivo, o músico baiano incluiu no repertório as faixas Ela e eu, que ele compôs para a sua primeira esposa, Andreia Gadelha, mãe de Moreno, e Não me arrependo, feita para Paula Lavigne, mãe de Zeca e Tom, e sua atual companheira.

Perto do final do show, Moreno cantou Um canto de afoxé para o bloco do Ilê, que ele fez aos 9 anos, e Caetano cantou Força estranha e o samba de roda em inglês, How beautiful could a being be. Antes de se despedirem, Moreno puxou "Lula livre", sendo acompanhado pela multidão que ocupava o teatro. O show terminou com Tá escrito, sucesso eternizado pelo Grupo Revelação, e os Veloso agradecendo os incansáveis aplausos da plateia.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.