Programação Transborda Capiba promove extensa programação de teatro, música, oficinas e debates em vários pontos do Recife Neste ano, o enfoque é a relação entre a mulher e o meio urbano, tendo todas as obras comandadas por artistas mulheres e voltadas para esse tema

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 10/09/2018 09:35 Atualizado em:

A peça Pagu discute a evolução do papel da mulher. Foto: Rayra Martins/Divulgação
A peça Pagu discute a evolução do papel da mulher. Foto: Rayra Martins/Divulgação

O Sesc Casa Amarela, localizado no bairro da Zona Norte do Recife, comandará uma extensa programação cultural desta segunda-feira (10) até 3 de outubro, com a segunda edição do Transborda Capiba. O evento terá espetáculos teatrais, encontro musicais, oficinas e mesa de conversa com entradas que custam até R$ 20. Também serão realizadas diversas performances gratuitas ao ar livre em diferentes pontos da cidade. Neste ano, o enfoque é a relação entre a mulher e o meio urbano, tendo todas as obras comandadas por artistas mulheres e voltadas para esse tema.

"O Transborda surge para aglutinar vários outros eventos que aconteciam ao longo do ano. É uma reformulação no sentido de fortalecer nossas atividades, explorando, em conjunto, as diversas linguagens artísticas, também dando conceito geral”, explica o professor de Artes Breno Fittipaldi. “Neste ano, a intenção é questionar como as mulheres se inserem na cidade. Temos uma cidade bonita e que encanta as pessoas, mas que ao mesmo tempo mata as mulheres. Existe essa relação da opressão."

Entre os destaques da programação estão dois espetáculos de grupos teatrais de São Paulo, apresentados no Teatro Capiba (na sede do Sesc Casa Amarela). Em cartaz no próximo sábado, às 20h, Sobre tomates, tamancos e tesouras (Teatro da Mafalda), é um monólogo tragicômico que mostra uma palhaça que é expulsa do palco pelo público após uma performance malsucedida. 

A segunda, Pagu (de Lilian de Lima), poderá ser vista no dia 29, no mesmo horário. A peça discute a evolução do papel da mulher, tendo como fio condutor o legado da escritora e jornalista Patrícia Rehder, que ficou conhecida por lutar por direitos femininos na década de 1920. Após a sessão, o público poderá comparecer à mesa de conversa A mulher e a cidade: violência, programas assistencialistas, arte e militância, com participação da delegada da Mulher, Ana Elisa Sobreira, a secretaria da Mulher do Recife e poetisa, Cida Pedrosa, a atriz Naná Sodré e a multiartista Sophia William.

No âmbito das performances ao ar livre, serão realizadas seis ações em diferentes espaços públicos, incluindo a Praça do Diario, o Pátio do Carmo e a Ponte da Boa Vista - essa última abre a programação do Transborda, às 16h de desta segunda-feira, com o espetáculo A ponte, do Coletivo Delas em Cena. Outra de destaque é Inconcretáveis, que tomará conta da Rua Mamede Simões - famosa pela vida noturna - no dia 27, às 23h. Na apresentação, mulheres de diferentes realidades sociais vão relatar casos de machismo e violência de gênero. A programação completa pode ser vista no site www.sescpe.org.br.

CATAMARÃ
Outra atividade é a #MedusaMusaMulher, da atriz Fabiana Pirro, encenada durante um passeio de catamarã. “Na mitologia, a Medusa é conhecida por ser um monstro cruel, mas a performance tenta nos mostrar que nada é por acaso. Essa personagem, na verdade, era uma bela mulher que foi estuprada por Poseidon. Foi amaldiçoada por isso e se tornou essa figura de revolta”, explica Fabiana. “Acho que o interessante da performance é a ocupação da cidade. É desafiador e estimulante, além de ser algo extremamente contemporâneo que está acontecendo cada vez mais”, continua a artista. Sua apresentação também vai contar com trilha sonora de manguebeat com o músico Jorra e um texto da poetisa pernambucana Cida Pedrosa.

Encerrando a programação no dia 3 de outubro, o Encontro musical poesias e canções - Em nome de mulher será realizado a partir das 20h no Teatro Capiba. O evento terá apresentação de músicas com declamações de poemas que abordam temáticas femininas. A entrada custa R$ 20 - com desconto de R$ 10 para trabalhadores do comércio e dependentes. Também serão oferecidas oficinas gratuitas que abordam linguagens artísticas como dramaturgia, artes plásticas e teatro. Os interessados precisam se inscrever no Ponto de Atendimento do Sesc Casa Amarela.

Programação

PERFORMANCES
Segunda (dia 10), às 16h - A ponte - Coletivo Delas em Cena. Local: Ponte da Boa Vista (Ponte de Ferro)
Terça (dia 11), às 16h - A mulher carne - Coletivo Despudorado. Local: Praça do Diário e Pátio da Igreja do Carmo
Dia 18, às 16h - MedusaMusaMulher – Fabiana Pirro. Local: Catamarã
Dia 27, às 23h - Inconcretáveis – Bruna Justino e Camila Mendes. Local: Rua Mamede Simões
Dia 28, às 23h - #MulherdaMamede – Elis Costa, Iara Campos e Íris Campos. Local: Rua Mamede Simões

TEATRO
Dia 15, às 20h - Sobre tomates, tamancos e tesouras - da companhia Teatro da Mafalda (SP)
Dia 29, às 20h - Pagu, anjo incorruptível - Lilian de Lima (SP)
Onde: Teatro Capiba, Sesc Casa Amarela, Avenida Norte, 4490, Mangabeira
Entrada: R$ 20 (geral)

DEBATE
Dia 29, às 20h - Lamentos contemporâneos, com Ana Elisa Sobreira, Cida Pedrosa, Naná Sodré, Sophia William e Hilda Torres. 
Local: Teatro Capiba
Entrada: R$ 20 (público em geral)

OFICINAS
De segunda a quarta (dia 10 a 12) - A mulher no corpo da cidade: Uma dramaturgia de afetos, de Silvia Góes
Do dia 18 a 21 - Caixa das possibilidades: Oficina de arte reciclável, de Jacaré
Do dia 1º a 3 de outubro - O eu feminino em passos livres: Convivências terapêuticas, de Hilda Torres
Onde: Sesc Casa Amarela, das 9h às 12h
Quanto: gratuita, no Ponto de Atendimento da unidade

MÚSICA
Dia 3 de outubro, às 20h - Encontro musical poesias e canções - Em nome de mulher, no Teatro Capiba. Entrada: R$ 20.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.