TV Caravana do Cine Sesi exibe filmes gratuitos em 44 cidades pernambucanas Sessões montadas em praças públicas contam com distribuição gratuita de pipoca

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 31/08/2018 09:18 Atualizado em: 31/08/2018 11:18

A edição começa contemplando o Sertão, mais especificamente Ouricuri e Santa Terezinha. Foto: Divulgação
A edição começa contemplando o Sertão, mais especificamente Ouricuri e Santa Terezinha. Foto: Divulgação

Auto da Compadecida, Lisbela e o Prisioneiro, Central do Brasil e Dona Flor e Seus Dois Maridos. Todos esses filmes nacionais de sucesso possuem algo em comum: são ambientados em pequenas cidades do interior. Apesar disso, muitos desses municípios retratados nas películas não contam com uma sala de cinema sequer. É pensando nessa realidade que o Serviço Social da Indústria (Sesi) tem realizado o projeto Cine Sesi há 18 anos.

Em Pernambuco, a ação chega à sua 12ª edição, após realizar sessões vistas por mais de 1 milhão de pessoas em 118 municípios. A programação começa hoje e vai até fevereiro de 2019, levando projeções para 44 cidades do Sertão ao Litoral, inclusive em algumas localidades que nunca tiveram uma sala de exibição. As sessões gratuitas serão montadas em praças públicas. Para os espectadores se sentirem em uma sala de cinema, a iluminação pública nos arredores dos locais serão desligadas e haverá distribuição gratuita de pipoca.

A edição começa contemplando o Sertão, mais especificamente Ouricuri e Santa Terezinha - de hoje a domingo. Nos próximos fins de semana, o Cine Sesi passa por Trindade, Salgueiro, Goiana e Iguaraci. A programação completa está no site cinesesi.com.br/programacao.

Entre os municípios contemplados, alguns nunca tinham recebido o projeto, a exemplo de Itamaracá, Itambé, Itaquitinga, Macaparana, Machados, Moreno e São José da Coroa Grande. Neste ano, serão exibidos os curtas Plantae (uma animação de Guilherme Gehr), Próxima (de Luiza Campos), e Médico de monstros (de Gustavo Teixeira). Entre os longas estão O pequeno segredo (um drama de David Schurmann), O filho eterno (de Paulo Machline) e O touro Ferdinando (animação norte-americana com direção de Carlos Saldanha).

O critério tem algumas especificidades: a obra não pode ter sido exibida na TV aberta e existe prioridade para produções nacionais. "No caso de O pequeno segredo, temos uma história que fala sobre generosidade e respeito às diferenças, algo que precisamos em uma época de intolerância”, explica a curadora Lina Rosa Vieira. "A animação O touro Ferdinando, por sua vez, é internacional, mas foi dirigida por um brasileiro. Então, queremos mostrar que existem pessoas entre nós que são capazes de conduzir uma obra tão elaborada".

A curadora do evento, ao explicar a dinâmica do Cine Sesi, diz que em muitas cidades do interior os momentos em que as pessoas se reúnem coletivamente em espaços públicos estão mais ligados à religião e a política. “A nossa proposta é que a população se encontre em nome da cultura. E, com isso, desperte um olhar mais crítico tanto para a religião, política e outros assuntos que rondam seu cotidiano. Esse é o papel da cultura. O cinema tem esse poder de ajudar a mente a ficar mais perspicaz e criativa, independente de classe social ou profissão. Isso afeta diretamente na qualidade de vida do cidadão”, avalia Lina.

O projeto também já realizou ações em estados como Paraíba, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rio Grande do Norte. Em Pernambuco, as projeções costumam agregar uma média entre 1,5 mil e 3 mil pessoas.

OFICINAS
Além das exibições, o projeto também promove oficinas de cinema de animação, neste sábado, em Afogados da Ingazeira. Na próxima semana, de segunda-feira a sábado, a ação se repete em Triunfo. Os orientadores vão abordar os fundamentos da animação quadro a quadro, explicando como se dá a criação, o planejamento e a produção de filmes de um minuto. Podem participar estudantes a partir de 16 anos, professores e pessoas ligadas à arte-educação e cultura.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.