Pop brasileiro Cantor Jão revela sentimentos de forma nua e crua no primeiro disco autoral Cantor e compositor paulista revelado na web lança Lobos, com destaque para a faixa Vou Morrer Sozinho

Por: Adriana Izel - Correio Web

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 28/08/2018 19:40 Atualizado em:

Artista mistura viola, saxofone, sanfona e faz pop genuinamente brasileiro. Foto: Universal Music/Divulgação
Artista mistura viola, saxofone, sanfona e faz pop genuinamente brasileiro. Foto: Universal Music/Divulgação

O paulista, natural da cidade de Américo Brasiliense, do interior de São Paulo, Jão ganhou notoriedade no ano passado. Tudo começou com covers publicados na internet até que o cantor resolveu compartilhar com aqueles que acompanhavam seu trabalho na web canções autorais. Assim, surgiram os hits Dança pra mim, Álcool, Ressaca e Imaturo. Meio que para acalmar a ansiedade dos fãs para o disco de estreia, ainda neste ano, Jão divulgou o EP Primeiro acústico, com versões de Imaturo, Ressaca e Álcool, e apenas uma inédita, a faixa Aqui.

Só que essa espera acabou. Jão lançou neste mês, Lobos, o primeiro disco de sua trajetória musical. O álbum é formado por 10 faixas, entre elas apenas duas já conhecidas do público: Imaturo e Aqui, que ganhou uma participação especial do cantor português Diogo Piçarra. Antes da divulgação do CD completo, o cantor ainda revelou o single Vou morrer sozinho, que já é o grande hit de Lobos figurando no topo das paradas da playlist Top Brasil, do serviço de streaming musical Spotify.

Lobos é uma espécie de cartão de visita de Jão. Isso porque traz 10 canções compostas pelo músico ao lado de Pedro Tófani — que só não divide a autoria com Jão em Imaturo — e revela uma das principais características do trabalho do paulista: colocar nas canções os sentimentos de forma nua e crua e com muita intensidade — e certa dramaticidade também. "Eu quis buscar dentro de mim, contar as minhas histórias e formar esse universo que o álbum carrega", afirma.

Assista ao clipe de Vou morrer sozinho:


Várias referências
Em questão de sonoridade, o álbum Lobos segue uma tendência da música atual brasileira, que é beber de diferentes fontes. No caso de Jão, ele foi atrás das raízes brasileiras. "Acho que todo artista no começo tem aquela angústia de saber qual vai ser a sua mensagem. Essa era uma inquietação minha também. E ela passou com a união que consegui de fazer várias coisas, de fazer um pop genuinamente brasileiro, que não fosse o reciclado de ninguém. Procuramos elementos de cada estado. Tem viola, tem saxofone, tem sanfona. Minha intenção é sempre buscar os elementos juntos", completa.

Sobre a única parceira do álbum, a versão de Aqui com Diogo Piçarra, Jão explica que veio da ideia de unir Brasil e Portugal. "O Diogo é um cara muito incrível, tem uma afinidade musical muito grande comigo. Trocamos ideia no Instagram e rolou a parceria. Eu queria unir essas duas fronteiras, para que se faça mais vezes, como os latinos fazem entre si", explica.

Assim que Lobos foi lançado, uma turnê nacional foi divulgada. Ao todo, 13 datas já foram reveladas. Como shows em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Goiânia, Curitiba, Porto Alegre, Fortaleza, Belém e Manaus. A turnê começa em setembro e está em processo de concepção. "Estamos desenvolvendo. A gente tem algumas coisas preparadas. Queremos usar bastante luz e formar um conceito de show", adianta o músico.

Turnê Lobos no Recife
De setembro a novembro, o artista vai circular o Brasil com a turnê Lobos. No Recife, o show está marcado para o dia 17 de novembro, no Baile Perfumado. Os ingressos antecipados custam R$ 30, à venda no Sympla. Informações: 3033-4747.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.