Quadrinhos HQ resgata período de disputas de poder em Pernambuco na década de 1910 Luto, trabalho de estreia do roteirista Bruno Florêncio, será lançada no sábado, no Museu do Trem do Recife

Por: Breno Pessoa

Publicado em: 17/08/2018 18:30 Atualizado em: 17/08/2018 17:49

Título traz artes em diferentes estilos, incluindo xilogravura. Crédito: Peba Publicações/Divulgação
Título traz artes em diferentes estilos, incluindo xilogravura. Crédito: Peba Publicações/Divulgação

A poucos meses das eleições para governador do estado, uma parte importante da política de Pernambuco é resgatada na HQ Luto (Peba Publicações, 134 páginas, R$ 20). A obra, escrita por Bruno Florêncio (bj fogueteiro) e editada pela antropóloga Gabriela Pimentel, tem como pano de fundo a disputa de poder entre Francisco de Assis Rosa e Silva e Emídio Dantas Barreto, candidatos ao governo em 1911. A publicação será lançada no sábado, a partir das 10h, na Estação Central Capiba – Museu do Trem do Recife (Rua Floriano Peixoto, s/n, São José).

O lançamento contará debate sobre a obra e o período histórico retratado no livro, com participação do roteirista, do pedagogo Bruno Alves e doutor em educação Fábio Paiva, com mediação da museóloga Mariza Monteiro. A atividade terá tradução simultânea em libras. No local, também serão expostas 20 páginas da HQ, em versão ampliada, que poderão ser vistas até 31 de agosto, como parte da programação da Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco, que ocorre no Museu do Trem.

Pesquisadora da área de cultura popular, a editora Gabriela Pimentel diz que uma das propostas da HQ é revisitar uma passagem hoje pouco conhecida da do passado de Pernambuco, a partir de uma mídia acessível. Ela ressalta que, apesar da pesquisa e enredos históricos, a trama traz como figuras centrais personagens fictícios.

Ambientado no sertão do estado, o roteiro narra a rivalidade entre as fictícias famílias Bezerra (chefiada pelo coronel Bezerra, partidário do general Dantas Barreto) e Araújo (liderada pelo Coronel Bastô Araújo, seguidor do conselheiro Rosa e Silva). Os dois lados travam uma disputa pelo controle do comércio do algodão, formação de curral eleitoral e manutenção do poder na região. Em meio a esse contexto, a morte de Zé Aboiador, da família Bezerra, e a chegada inesperada do cangaceiro Urubu acabam por acirrar os ânimos.

O livro conta com ilustrações de Rafael Dantas, Milton Estevam, Téo Pinheiro e Rafael Anderson. Segundo a editora, a presença de artistas de estilos diversos serve para enfatizar "o caráter polifônico da narrativa" e também para destacar as diferenças entre os períodos retratados ao longo da trama. As sequências de flashback, por exemplo, são em preto e branco, a partir de técnicas de xilogravura. Aliás, a capa é do cordelista J. Borges.

Após o lançamento, Luto estará disponível em alguns pontos de venda da cidade, como a Banca Globo (Avenida Guararapes, 253), Bakamoon Comic Store (Av. Conde da Boa Vista, 50, loja b, térreo) e Tocadisco Comic Store (Rua Joaquim Nabuco, 330). Os autores também irão lançar a HQ na Bienal de Quadrinhos de Curitiba, em setembro, e na Comic Com Experience, no mês de dezembro, em São Paulo.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.