Polêmica Atriz de Smallville acusada de tráfico sexual pede para voltar a atuar Allison Mack aguarda julgamento em prisão domiciliar após pagar fiança de US$ 5 milhões (cerca de R$ 18 milhões)

Por: Agência Estado

Publicado em: 17/08/2018 16:15 Atualizado em:

Allison admitiu que marcava participantes de seita com ferro quente (foto: Drew Angerer)
Allison admitiu que marcava participantes de seita com ferro quente (foto: Drew Angerer)

Allison Mack, atriz da série Smallville que está sendo acusada de liderar a seita de mulheres NXIVM e de cometer tráfico sexual e outros crimes, está pedindo à Justiça autorização para voltar a atuar. A atriz aguarda julgamento em prisão domiciliar após pagar fiança de US$ 5 milhões (cerca de R$ 18 milhões).

De acordo com o E! News, Allison pediu para a Justiça para sair da casa dos pais em Alamitos, na Califórnia, onde ela está em prisão domiciliar, para que possa tentar trabalhar novamente como atriz, ir à igreja e estudar.

Em novembro de 2017, a atriz foi identificada pela polícia como uma das líderes da seita NXIVM, na qual mulheres eram marcadas na pele com ferro quente com as letras K e R, proibidas de se alimentarem e deveriam recrutar novas escravas sexuais para o grupo. A organização foi fundada por Keith Raniere.

Na época, o The New York Times noticiou que Raniere liderava ainda o DOS, uma sociedade secreta de mulheres dentro do grupo NXIVM, na qual as participantes debatiam estratégias de evolução pessoas e sobre como viver uma vida bem-sucedida. No DOS, as mulheres tinham de revelar segredos de suas vidas pessoais, e eram escravas sexuais dos líderes.

Em junho, Allison admitiu que marcava as participantes da seita com ferro quente. "Eu pensei: 'Uma tatuagem? As pessoas ficam bêbadas e tatuam 'amigos para sempre' no tornozelo ou qualquer besteira nas costas'. Eu tenho duas tatuagens e elas não significam nada", disse ela à New York Times Magazine. Os casos teriam acontecido entre 2016 e 2017.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.