Dança contemporânea Acupe Grupo de Dança comemora 10 anos com estreia de espetáculo nesta sexta Banquete de Amor e Falta será apresentada no Teatro Hermilo Borba Filho, às 20h

Por: Júlia Galvão

Publicado em: 09/08/2018 10:32 Atualizado em: 09/08/2018 10:46

Foto: Yuska Ferreira/Divulgação (Foto: Yuska Ferreira/Divulgação)
Foto: Yuska Ferreira/Divulgação
Uma das referências de dança contemporânea em Pernambuco e com mais de uma década de trajetória em pesquisas, criações e atividades formativas, o Acupe Grupo de Dança estreia, nesta sexta, o espetáculo Banquete de amor e Falta, no Teatro Hermilo Borba Filho (Rua do Apolo, 121, Bairro do Recife). Após a apresentação inaugural, ficará em cartaz nos dias 11, 12, 17, 18 e 19, com sessões às 20h. Aos sábados e domingos, as apresentações contam com audiodescrição.

O espetáculo nasceu a partir de estudos do corpo em movimento e da aproximação com os pensamentos do livro O banquete de Platão, que aborda discursos de vários filósofos sobre Eros e o amor, e do psicanalista revolucionário Jacques Lacan, conhecido por repensar Freud e criar uma corrente própria da psicanálise, o lacanismo.

O diretor e criador Paulo Henrique Ferreira conta que o contato com o Sistema Laban de dança e as figuras topológicas - conceito matemático que tem como finalidade estudar a estrutura dos objetos sem preocupação com seu tamanho e formato - foi fundamental para a concepção do espetáculo. “As pesquisas incluem a relação de movimento, de infinitas possibilidades, do corpo no espaço e do corpo que se desenha no espaço. O campo é muito fértil e prazeroso.”, explica.

Em cena, os intérpretes Henrique Braz, Anne Costa, Jadson Mendes, Silas Samarky e Valéria Barros criam movimentos e modificam dinâmicas a fim de provocar o público sobre as possibilidades de amar. “O desejo de saber o que é o amor esbarra no que não pode ser dito com palavras”, pontua Paulo Henrique Ferreira. O diretor ainda explica que o figurino mergulha no conceito e os bailarinos vestem transparências. “Mostramos o que está do outro lado, a outra face. É uma perspectiva diferente de observar o amor.”

Refletida nos corpos, a dramaturgia assinada pela poeta pernambucana Flávia Gomes leva ao espetáculo sentimentos gerados pelo amor - euforia e agonia, sagrado e profano. O espaço de tempo varia entre passado, presente ou futuro, com o objetivo de apresentar experiências distintas e transformadoras.

O Banquete de Amor e Falta preza por um clima íntimo e de interação. Não existe palco, nem plateia. Público e elenco vão poder compartilhar do mesmo ambiente no Hermilo. A trilha sonora é original de Divan Gattamorta, compositor paulista que há mais de 30 anos trabalha com a relação música e dança.
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.